Mercado abrirá em 9 h 39 min

Moraes, do STF, manda PRF informar em 48h efetivo nas rodovias desde 28 de outubro

***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 30.10.2022 - O presidente do TSE, Alexandre de Moraes, em coletiva de imprensa no TSE. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 30.10.2022 - O presidente do TSE, Alexandre de Moraes, em coletiva de imprensa no TSE. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou nesta sexta-feira (4) que a Polícia Rodoviária Federal informe em prazo de 48 horas o número de policiais nas estradas desde o dia 28 de outubro, antevéspera do segundo turno das eleições.

As informações deverão ser apresentadas por estado e conter dados sobre os eventuais recrutamentos realizados para o dia da votação, domingo (30), "devendo haver detalhamento das lotações de origem dos policiais, bem como para onde foram enviados em missão", segundo Moraes.

A ordem foi dada nos autos de uma ação movida pela Confederação Nacional do Transporte, a mesma que motivou, na noite da segunda (31), a decisão do ministro para que a PRF agisse de forma efetiva no enfrentamento aos protestos golpistas nas rodovias do país.

Apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) deram início aos protestos na noite de domingo (30), logo após o anúncio da vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas urnas. As manifestações se intensificaram no dia seguinte e foram registrados mais de 400 pontos de bloqueio.

Vídeos que circularam nas redes sociais mostraram policiais rodoviários apenas monitorando os protestos e alguns em conversas amistosas com os manifestantes.

A Folha mostrou que o número de policiais rodoviários federais que atuaram nas estradas do país na última segunda foi similar ao de outras segundas de outubro.

Estavam na escala do dia seguinte ao segundo turno das eleições 2.310 agentes. Em outras três segundas-feiras do mês (3, 10 e 24), os efetivos da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram de 2.018, 2.271 e 2.333 agentes, respectivamente. Portanto, não houve reforço imediato para o atendimento à situação emergencial.

A polícia ampliou o efetivo somente na terça (1º), chegando a 3.327 agentes, após determinação do presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Alexandre de Moraes. Os dados incluem todos os policiais que, nas 24 horas da data, atuaram nas rodovias.

Procurada, a PRF afirmou que não pode disponibilizar dados sobre a quantidade de policiais "por conta do dever legal de guardar sigilo sobre informações que possam vir a ferir a segurança orgânica da instituição e de seus servidores".

Disse ainda que "vem trabalhando incansavelmente para restabelecer o fluxo nas rodovias federais com um incremento de 400% em seu efetivo".