Mercado fechado

Moradores reclamam de falta d'água em pelo menos 30 bairros de quatro cidades do RJ

Extra
·3 minuto de leitura
Guilherme Pinto / Agência O Globo

RIO — Ao menos 30 bairros são afetados pela falta d'água em quatro cidades do estado do Rio de Janeiro. O levantamento se baseia em relatos enviados por leitores nas redes sociais nesta terça-feira. Na capital, as reclamações se concentram nas Zonas Norte e Oeste. Na Baixada Fluminense, moradores de Nova Iguaçu, Belford Roxo e São João de Meriti também se manifestaram. Apenas no município do Rio, mais de 1,4 milhões de habitantes são afetados pelo desabastecimento, segundo dados do Instituto Pereira Passos.

O problema começou há duas semanas na Elevatória do Lameirão, que passou a operar com 75% da capacidade devido ao defeito em três bombas. A estação, localizada em Senador Vasconcelos, na Zona Oeste, recebe aproximadamente metade da água tratada na Estação do Guandu. A Cedae diz que o transtorno só deverá ser resolvido em 20 de dezembro, quando já estará publicado o edital que selará a venda da companhia, previsto para o dia 18.

No Rio, o bairro de Anchieta foi um dos mais citados. Alguns moradores dizem que a água não chega há dias em algumas ruas. É caso de Luara Guerra, que relatou estar vivendo o "caos". Já Eric Garcia disse que está sem água há duas semanas. "As contas estão chegando e não vou pagar. Eles só contam mentiras e mais mentiras. Chega disso!", reclamou.

Na Zona Norte, há muitos relatos sobre São Cristóvão. O morador Felipe Teles diz que o problema se estende há 17 dias. "A Cedae está liberando água só de madrugada, com pressão muito fraca, e não sobe para caixa. Levanto 5h pra encher os baldes na torneira que vem da rua. Por volta de 6h e 7h a torneira fica seca", ressaltou. A leitora Zinda Faria conta que mora na Rua São Luiz Gonzaga, onde uma vila com mais de 35 casas não tem água há dias. "A Cedae não resolve o problema. São moradores idosos, crianças e pessoas doentes", reclama.

Bairros da Zona Oeste como Guaratiba e Campo Grande também foram alvo de muitas reclamações. A moradora Gil Cruz conta que sofre com o desabastecimento há 20 dias. "Pedra de Guaratiba está uma vergonha. Criança pequena em casa, calor... nem todo mundo tem dinheiro para contratar um caminhão pipa. Como fica?", questionou. Perto de Campo Grande, em Senador Vasconcelos, a leitora Ingrid Benevides diz que "está faltando água dia sim, dia não" e acrescentou: "Está complicado neste calor e com a pandemia, quando precisamos manter a higienização.

Depois da capital, o segundo município com mais relatos foi Nova Iguaçu. Moradores dos bairros de Cabuçu, Austin, Jardim Alvorada, Palhada e Parque das Palmeiras enviaram desabafos sobre o desapastecimento. "Austin está há semanas com essa pouca vergonha. Estou desde sábado sem uma gota de água. Um sol de 50 graus e a gente sem água há mais de duas semanas", reclamou Sueli Sousa.

Em Belford Roxo, as mensagens enviadas são de moradores do Centro. Patrick Castro vive na rua Paraguai, onde falta água todos os dias. "Ficamos sem abastecimento o dia todo. Falta de respeito com o consumidor, pois a conta d'água não para de chegar e só aumenta o valor", disse.

Confira a lista de bairros afetados

Rio de Janeiro

AnchietaBonsucessoCajuCampo GrandeCentroEngenho de DentroEngenho NovoGuaratibaIrajáLins de VasconcelosMadureiraParque AnchietaPraça SecaRamosRealengoRecreioRiachueloRicardo de AlbuquerqueSão CristóvãoTijucaVaz Lobo Vila ValqueireVilar dos Teles

Nova Iguaçu

AustinCabuçuJardim AlvoradaPalhadaParque das Palmeiras

Belford Roxo

Centro

São João de Meriti

Vilar dos Teles