Mercado abrirá em 4 h 43 min

Moradores de 18 cidades podem sacar FGTS por calamidade

Ciclones, alagamentos, vendavais, tornados e rompimentos de barragens são algumas das situações que autorizam a movimentação do dinheiro (Getty Image)
Ciclones, alagamentos, vendavais, tornados e rompimentos de barragens são algumas das situações que autorizam a movimentação do dinheiro (Getty Image)
  • 18 cidades autorizaram o saque por calamidade do FGTS

  • Recurso é autorizado em locais que foram atingidos por desastres naturais

  • Trabalhadores podem retirar até R$ 6.220 do fundo

Existem situações específicas para que o trabalhador consiga retirar parte do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Uma delas é o saque por calamidade, concedido a pessoas que têm necessidade pessoal, urgente e grave decorrente de desastre natural que atingiu a área quem que vive.

O dinheiro é liberado apenas em situações de emergência ou o estado de calamidade pública que passe por um decreto do governo municipal ou estadual publicado em prazo não superior a 30 dias do primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência do desastre.

Enchentes, alagamentos, vendavais, tornados, ciclones e rompimentos de barragens são algumas das situações que autorizam a movimentação de valores do fundo. Esse dinheiro é destinado para ajudar as pessoas que passaram por alguma dessas ocorrências.

O valor máximo para retirada é de R$ 6.220. para movimentar a quantia, é necessário ter saldo disponível no FGTS e não ter realizado um saldo semelhante nos últimos 12 meses.

Apenas neste ano, 170 municípios de Alagoas, Amapá, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo puderam utilizar o Saque FGTS por motivo de calamidade.

Confira a lista de cidades que ainda estão no prazo para a retirada do recurso:

  • Alagoas: Atalaia, Capela, Maragogi, Murici, Palmeira dos Índios, Pilar, Santana do Mundaú, São José da Laje, Satuba, Teotônio Vilela, União dos Palmares e Viçosa;

  • Paraná: Rio Negro;

  • Rio de Janeiro: Petrópolis;

  • Rio Grande do Norte: Ceará-Mirim;

  • Santa Catarina: Cordilheira Alta, Curitibanos e Forquilhinha.