Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.024,77
    +79,04 (+0,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Monkeypox pode ser devastadora em pacientes com HIV

Conforme um alerta divulgado pelo CDC (órgão de saúde dos EUA), a varíola dos macacos — monkeypox — pode ter efeitos devastadores em pacientes imunossuprimidos, como HIV positivos, por exemplo.

A informação vem do Relatório Semanal de Morbidade e Mortalidade do CDC. Segundo o material, 82% dos 57 pacientes analisados tinham HIV. Desses pacientes, 17 foram internados na unidade de terapia intensiva e 12 morreram.

“A varíola [dos macacos] foi a causa da morte ou fator contribuinte em cinco desses casos, seis mortes permanecem sob investigação para determinar se a varíola foi um fator causal ou contribuinte, e em uma morte, a varíola não foi uma causa ou fator contribuinte", aponta o relatório.

Monkeypox pode ser devastadora em pacientes com HIV, segundo relatório do CDC (Imagem: twenty20photos/Envato)
Monkeypox pode ser devastadora em pacientes com HIV, segundo relatório do CDC (Imagem: twenty20photos/Envato)

No início do mês, o Brasil recebeu o primeiro lote com 9,8 mil doses da vacina Jynneos para a imunização contra a varíola dos macacos. Profissionais de saúde não devem receber as primeiras doses, já que o uso será destinado para um estudo científico.

Acontece que o Ministério da Saúde planeja realizar um estudo com a vacina para monkeypox, e a população-alvo será "formada por pessoas mais afetadas e com maior risco para a doença".

Inicialmente, o foco está em pessoas que tiveram contato prolongado com caso confirmado da doença e pessoas com risco potencial, como os indivíduos que usam profilaxia pré-exposição (PrEP) para o HIV ou que estão em tratamento com antirretroviral para o vírus da Aids.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: