Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.550,63
    +550,59 (+2,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Monitor do PIB-FGV aponta retração de 0,7% na economia em outubro

·2 min de leitura

O Monitor do PIB-FGV apontou retração de 0,7% na atividade econômica no mês de outubro, em comparação a setembro, e crescimento de 1% no trimestre móvel findo em outubro, em comparação com o terminado em julho. Na comparação interanual, a economia estagnou no mês de outubro e cresceu 2,3% no trimestre móvel findo em outubro.

As informações foram divulgadas hoje (17) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Em termos monetários, estima-se que o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país) no acumulado do ano até outubro, em valores correntes, foi de R$ 7,162 trilhões.

Segundo o coordenador do Monitor do PIB-FGV, Claudio Considera, a economia brasileira continua estagnada com declínio em outubro comparado a setembro e paralisada em relação ao mesmo mês do ano passado. “Há de se levar em conta que o mês de outubro do ano passado teve resultado negativo, o que tornaria mais fácil crescer este ano”, disse.

O consumo das famílias cresceu 1,9% no trimestre móvel terminado em outubro em comparação ao mesmo período do ano passado. Na série com ajuste sazonal, o consumo das famílias apresentou avanço de 0,6% em comparação ao trimestre anterior.

A formação bruta de capital fixo, que são os investimentos, cresceu 7,6% no trimestre móvel findo em outubro em comparação ao mesmo período do ano passado. “É importante ressaltar a visível queda nas taxas de crescimento desde o mês de junho deste ano. Na série ajustada sazonalmente, a formação bruta de capital fixo apresentou crescimento (2%) no trimestre móvel findo em outubro em comparação ao findo em julho”, informou o Ibre/FGV.

A exportação apresentou crescimento de 5,7% no trimestre móvel terminado em outubro em comparação ao mesmo período do ano passado. O elevado crescimento do setor de serviços (31,3%) é o principal responsável por essa taxa positiva. Por outro lado, na análise da série dessazonalizada a exportação apresentou retração de 0,8% no trimestre móvel findo em outubro em comparação ao terminado em julho.

A importação cresceu 20,9% no trimestre móvel findo em outubro em comparação ao mesmo período do ano passado. Na análise da série dessazonalizada, a importação apresentou retração de 0,3% no trimestre móvel findo em outubro em comparação ao terminado em julho.

“A indústria apresentou resultado negativo puxado pela forte queda da indústria de transformação, enquanto a agropecuária apresentou forte crescimento”, disse Claudio Considera. “O crescimento do ano será garantido pelo consumo das famílias e do governo”.

Ouça na Radioagência Nacional:


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos