Mercado fechado

Monitor do PIB da FGV aponta crescimento de 0,1% no terceiro trimestre

Segundo a fundação, houve um avanço de 0,9% sobre igual período de 2018 O Monitor do PIB apontou crescimento de 0,1% no terceiro trimestre deste ano, na comparação dessazonalizada com o segundo trimestre, e avanço de 0,9% sobre igual período de 2018. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Em setembro, o indicador avançou 0,3% sobre agosto, também na série com ajuste sazonal, e 2,1% sobre setembro do ano passado. De acordo com a FGV, o levantamento referente ao terceiro trimestre não considera a revisão do Sistema de Contas Nacionais (SCN) de 2017, divulgada em novembro.

“O crescimento da economia no terceiro trimestre, pelo lado da oferta, é resultado do bom desempenho registrado na agropecuária, indústria (exceto transformação) e serviços (exceto transportes e intermediação financeira). Pelo lado da demanda destaca-se a formação bruta de capital fixo com todos seus componentes positivos, inclusive a construção. Enquanto a indústria de transformação estagnou no terceiro trimestre, a exportação apresentou a terceira queda consecutiva. O desempenho da exportação é explicado, de forma geral, pela desaceleração da economia mundial e, de maneira específica pela retração da economia argentina, importante parceira comercial do Brasil”, afirma em nota Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

Luis Ushirobira/Valor

No terceiro trimestre, a indústria de transformação registrou queda na comparação com o segundo trimestre e com o terceiro trimestre de 2018. Pela ótica da demanda, a exportação também apresentou queda nas duas métricas enquanto o consumo do governo retraiu apenas na análise interanual. Os demais componentes da demanda cresceram nas duas comparações.

O consumo das famílias cresceu 1,9% no terceiro trimestre, em comparação ao mesmo trimestre de 2018. Segundo a FGV, o resultado se deve ao crescimento de todas as categorias de consumo com destaque para duráveis (5,1%).

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) aumentou 2,5% no terceiro trimestre, em comparação ao mesmo trimestre de 2018 com crescimento em todos os componentes.

A exportação caiu 4,7% no terceiro trimestre, em comparação com o mesmo período de 2018. A exceção de serviços e bens intermediários, todos os demais grandes grupos de exportação retraíram neste trimestre. As maiores retrações foram em bens de capital (queda de 21,4%) e extrativa mineral (recuo de 15,1%).

A importação em contrapartida cresceu 2,1% no terceiro trimestre, principalmente pela expansão da importação de bens intermediários que cresceram 14,7% neste trimestre.