Mercado abrirá em 2 h 27 min

Monges franceses ateiam fogo em antenas de 5G para alertar sobre 'riscos à saúde'

·1 minuto de leitura

PARIS - Dois monges católicos, de 39 e 40 anos, foram acusados de atear fogo em antenas da rede móvel 5G no sudeste da França para chamar atenção sobre possíveis riscos que a nova tecnologia apresenta à saúde.

Os religiosos de um mosteiro ultraconservador da região de Ródano confessaram à polícia que na semana passada saíram para queimar uma das duas antenas que planejavam destruir. Na noite seguinte ao ataque, quando se dirigiram a uma aldeia vizinha para nova investida, a polícia os deteve em flagrante no momento em que ateavam fogo na segunda antena.

Procuradores franceses disseram à AFP que os danos reais foram pequenos, mas os monges foram acusados de "vandalismo com dispositivo incendiário". O religiosos relataram que queriam alertar sobre os efeitos nocivos do 5G, segundo o Ministério Público..

Operadores de telecomunicações têm enfrentado protestos em algumas partes da França contra a tecnologia sob alegação de que ela constitui um risco à saúde.

De acordo com um porta-voz do mosteiro ultraconservador, o grupo compartilha a visão dos dois monges, embora não apoie atos de vandalismo e fanatismo. Ele classificou o episódio como "um ato isolado e um erro da juventude".

- As ondas são muito prejudiciais para a saúde, e eles queriam agir pelo bem-estar da humanidade - disse o porta-voz do ao jornal regional Le Progres.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos