Mercado fechado

Molnupiravir: Anvisa aprova novo medicamento contra covid

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, na quarta-feira (4), o uso emergencial do remédio molnupiravir no Brasil. Desenvolvida pela farmacêutica norte-americana MSD — também conhecida como Merck —, a pílula é indicada para casos leves e moderados da covid-19, mas que tenham risco de complicações.

Nos ensaios clínicos, o antiviral molnupiravir demostrou efeitos benéficos em pacientes adultos, com capacidade de reduzir os casos de hospitalização e mortes, segundo explica a Anvisa. A nova medicação contra covid-19 pode ser usada em casa e ajuda a reduzir as chances do vírus Sars-CoV-2 se multiplicar no organismo recém-infectado.

Anvisa aprova o uso do antiviral molnupiravir contra a covid-19 leve ou moderada (Imagem: Duallogic/Envato Elements)
Anvisa aprova o uso do antiviral molnupiravir contra a covid-19 leve ou moderada (Imagem: Duallogic/Envato Elements)

Além do Brasil, a pílula da MSD contra a covid-19 já foi aprovada nos Estados Unidos, na Europa, no Japão, no Reino Unido, na Austrália e também pela Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a Anvisa, o remédio está em uso em 17 países.

Como usar o molnupiravir contra covid?

"O medicamento deve ser utilizado durante os cinco primeiros dias após o aparecimento dos sintomas, de modo a evitar o desenvolvimento de uma versão resistente do vírus", orienta a Anvisa, em comunicado.

De forma geral, o antiviral pode ser prescrito para pessoas com mais de 18 anos, já diagnosticadas com a covid-19 e que não precisem de oxigênio suplementar. No entanto, este indivíduo deve apresentar um risco aumentado de progressão da doença para casos graves, como algum nível de imunossupressão ou comorbidades.

No momento, a fórmula não é recomendada para quem está grávida, amamenta ou busca engravidar. "Isso porque estudos de laboratório em animais mostraram que altas doses de molnupiravir podem afetar o crescimento e o desenvolvimento do feto", explica a Anvisa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos