Mercado abrirá em 2 h 10 min
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,15
    +0,97 (+1,61%)
     
  • OURO

    1.743,60
    -4,00 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    64.161,50
    +1.129,76 (+1,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.382,98
    +88,99 (+6,88%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.902,68
    +12,19 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    14.000,00
    +24,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8359
    +0,0047 (+0,07%)
     

Moletom entra no cálculo da inflação britânica

ANA ESTELA DE SOUSA PINTO
·3 minuto de leitura

BRUXELAS, BÉLGICA (FOLHAPRESS) - Novos hábitos introduzidos pela pandemia de coronavírus marcam a nova cesta de produtos usada para calcular a inflação no Reino Unido, divulgada nesta segunda (15) pelo ONS, departamento responsável pelas estatísticas essenciais. Desinfetantes para as mãos, roupas confortáveis masculinas -como abrigos de moletom- e halteres para fazer ginástica em casa foram alguns dos produtos que entraram na base de cálculos do governo britânico. A inflação é uma medida de quanto variam os preços de uma cesta de produtos previamente definida, na qual cada um tem um peso definido de acordo com sua importância relativa nas compras da população. A lista de produtos é revisada todos os anos no Reino Unido, "para garantir que continue a medir com precisão a variação do custo dos produtos e serviços ao longo do tempo e reflita as mudanças nos gostos e hábitos dos consumidores", afirmou o ONS. Com os confinamentos -que no Reino Unido aconteceram de março a maio e de setembro a novembro do ano passado, e desde janeiro deste ano- e a concentração de várias atividades em casa, produtos de tecnologia para o trabalho e a economia de energia também foram adicionados à nova lista. Entre eles estão smartwatches (também por causa dos exercícios físicos), lâmpadas inteligentes e wifi . Uma novidade que não tem relação com a pandemia de coronavírus, mas reflete uma mudança comportamental de longo prazo, foi a inclusão dos carros híbridos e elétricos. A venda de veículos menos poluentes tem crescido de forma relevante não apenas no Reino Unido mas também na Europa como um todo, e em novembro de 2020 o governo britânico anunciou que as vendas de novos carros a gasolina e diesel terminarão no país em 2030. Nem todo produto cujo uso aumentou na pandemia, porém, passou a fazer parte do índice de inflação. Máscaras faciais, por exemplo, não foram incluídas porque seu uso pode cair rapidamente após a vacinação em massa, o que afetaria a coleta de preços ao final de 2021 (a cesta deve se manter a mesma ao longo de todo o ano). Entre os produtos que se despediram da cesta de inflação o mais significativo foi o café moído, substituído pelas cápsulas de café espresso. Sanduíches para restaurantes empresariais também deixaram de ter peso. Outro item abandonado foi o das correntes de ouro, mas não porque tenham deixado de ser usadas. A pesquisa mostrou que os movimentos de preços para essas joias espelham os de anéis de ouro maciço, que já fazem parte da lista. No total, 10 itens foram suprimidos e 17 adicionados, segundo o chefe de estatísticas econômicas do ONS, Sam Beckett. Além deles, 729 que já faziam parte da lista foram mantidos. A pandemia afetou também a própria coleta de dados para o cálculo da inflação em 2020, afirmou o instituto de estatística britânico. Os índices de preços são calculados a partir de 180 mil preços de 720 bens e serviços, coletados todos os meses em vários estabelecimentos do país e na internet. Durante os bloqueios, todos os preços foram coletados por telefone e internet, em 140 locais em todo o Reino Unido.