Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.362,49
    +2.361,20 (+6,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Moderna já começa a testar vacina de mRNA contra a gripe em humanos; confira

·2 minuto de leitura

No combate aos vírus respiratórios, a Moderna inicia um novo desafio: desenvolver uma vacina de mRNA (RNA mensageiro) contra a gripe (influenza). Atrás desse objetivo, a empresa de biotecnologia norte-americana iniciou, na quarta-feira (7), os testes em humanos do potencial imunizante tetravalente. Vale lembrar que os cientistas do laboratório já formularam uma das primeiras vacinas contra a COVID-19, baseada na mesma tecnologia.

Para avaliar a segurança e a capacidade de gerar uma resposta imune da potencial vacina mRNA-1010 contra a gripe, o estudo de Fase 1/2 da Moderna é randomizado, estratificado, duplo-cego e envolve diferentes dosagens. Inicialmente, a fórmula deve ser testada em pessoas saudáveis com mais de 18 anos e o estudo envolverá até 180 voluntários.

Moderna testa vacina da gripe com tecnologia de mRNA (Imagem: Reprodução/Seventyfourimages/Envato Elements)
Moderna testa vacina da gripe com tecnologia de mRNA (Imagem: Reprodução/Seventyfourimages/Envato Elements)

É importante frisar que a gripe é um sério desafio para a saúde pública. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), de três a cinco milhões de casos graves de influenza acontecem todos os anos no mundo, causando entre 290 a 650 mil óbitos em decorrência da infecção viral.

No momento, a maioria das vacinas disponíveis têm uma eficácia de 40% a 60% contra a doença e precisam de reforços anuais, já que a proteção é limitada pelas novas mutações do vírus. Com a tecnologia de mRNA, a expectativa da Moderna é atingir níveis superiores de proteção. No caso da COVID-19, a empresa alcançou uma taxa de 90% de eficácia.

O que é uma vacina tetravalente?

Anualmente, as vacinas contra a gripe são reformuladas, ou seja, uma dose é necessariamente diferente da outra. Isso porque o vírus da gripe sofre mutações e a ideia é que o imunizante proteja contra as principais cepas em circulação naquele momento. Provavelmente, este cenário poderá se repetir com a COVID-19, mas ainda é cedo para afirmar.

Voltando para as vacinas da gripe, elas costumam ser tetravalentes, ou seja, protegem contra 4 possíveis cepas predominantes do vírus Influenza, sendo duas da linhagem A (H3N2 e H1N1) e outras duas da B (B Victoria e B Yamagata). Essa seleção é feita pela OMS e costuma valer para laboratórios do mundo todo, como o do Instituto Butantan e, agora, o da Moderna. No caso da vacina mRNA-1010, esta é a primeira candidata contra a influenza sazonal da empresa de biotecnologia.

“Estamos felizes por iniciar este estudo de Fase 1/2 da mRNA-1010, a nossa primeira candidata a vacina contra a gripe sazonal de RNA mensageiro a entrar na fase clínica”, afirmou Stephane Bancel, CEO da Moderna, em comunicado. "Esperamos avançar nosso principal foco que é o de vacinas profiláticas de mRNA para que possamos continuar a causar um impacto na saúde pública global”, completou.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos