Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    53.922,91
    -812,51 (-1,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,81 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3151
    +0,0769 (+1,23%)
     

Modelo magnético global de Marte é criado por pesquisadores chineses

·2 min de leitura

A Academia Chinesa de Ciências (CAS) anunciou a produção do primeiro modelo magnético global de rocha remanescente de Marte já produzido pelo país. Trata-se de um modelo de referência do campo magnético do Planeta Vermelho, que poderá ser usado para a implantação de missões de exploração de Marte no futuro.

O modelo foi elaborado por Gao Jiawei, aluno de doutorado no Laboratório Principal do Instituto de Física da Terra e Planetária, do Instituto de Geologia e Geofísica da CAS, junto de seus supervisores Rong Zhaojin e Wei Yong. Ao combinar observações de campo magnético produzidas pelas sondas Mars Global Surveyor e Maven, ambas da NASA, eles conseguiram estabelecer o primeiro modelo global de magnetização remanescente.

Sem campo magnético, a atmosfera de Marte ficou exposta ao vento solar e à radiação (Imagem: Reprodução/Kevin Gill/Flickr0
Sem campo magnético, a atmosfera de Marte ficou exposta ao vento solar e à radiação (Imagem: Reprodução/Kevin Gill/Flickr0

Para produzi-lo, eles trabalharam com uma comparação dos pontos fortes e fracos dos modelos já existentes, e é capaz de descrever com maior precisão a distribuição da magnetização remanescente das rochas na baixa altitude do planeta. O resultado oferece uma referência de modelo de campo magnético para os avanços de pesquisas sobre Marte, e poderá também contribuir com futuras missões enviadas para lá.

Atualmente, os cientistas consideram que Marte já teve um campo magnético global parecido com aquele que envolve a Terra, que permitiu condições amigáveis para a vida. Entretanto, há cerca de quatro bilhões de anos, o campo magnético do planeta desapareceu, fazendo com que as interações entre o vento solar e a atmosfera marciana ocorressem diretamente.

Por isso, em função da ação das partículas emitidas pelo Sol, Marte se tornou um planeta com uma atmosfera fina e clima seco e frio. Embora não tenha campo magnético global atualmente, os minerais das rochas em sua superfície mostram evidências de um campo magnético, formado pelo magnetismo remanescente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos