Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,27
    +0,45 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.817,30
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    43.027,14
    -459,71 (-1,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.037,76
    +12,03 (+1,17%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.383,32
    -46,48 (-0,19%)
     
  • NIKKEI

    28.124,28
    -364,82 (-1,28%)
     
  • NASDAQ

    15.616,75
    +21,00 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3174
    -0,0154 (-0,24%)
     

Moda : conteúdo com peles de animais é banido das páginas da revista Elle no mundo todo

·1 min de leitura

Para "incentivar uma indústria da moda mais humana", as peles de animais desaparecerão das páginas e meios digitais de todas as edições da revista Elle, anunciou a publicação nesta quinta-feira (2). A decisão confirma uma tendência crescente no setor da moda e do luxo, que se opõe cada vez mais ao uso das peles.

Do México à Austrália, passando pelo Japão e Estados Unidos, todas as 45 edições da Elle assinaram um compromisso prometendo excluir as peles de animais de suas páginas. O anúncio foi feito durante uma conferência organizada pela revista digital The Business of Fashion em Chipping Norton, no centro da Inglaterra.

Elle é a primeira grande publicação do setor a tomar essa medida a nível mundial, proibindo as peles naturais não só em seu conteúdo editorial, mas também em seus espaços publicitários. "Não podemos manter um discurso de um lado e ganhar dinheiro do outro, em direções completamente opostas", explicou sua diretora internacional, Valeria Bessolo Llopiz.

A diretora contou que algumas versões da revista chegaram a hesitar para aceitar a proibição das peles na publicidade, temendo o impacto no orçamento da publicação, já que os anúncios pagos pelas marcas, essencialmente de moda, são a principal fonte de renda da empresa. Mas ela lembrou que “muitas marcas também abandonaram as peles há anos".

A revista Elle reivindica 33 milhões de leitores e 100 milhões de visitantes por mês em suas 55 plataformas digitais. Em 13 delas a medida contra as peles já é efetiva, enquanto 20 a aplicarão a partir de 1º de janeiro e o restante no início de 2023.

Revista engajada com viés feminista

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Israel se torna primeiro país do mundo a proibir comércio de peles de animais

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos