Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.357,98
    +1.252,14 (+3,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Mobilidade urbana: maioria defende incentivo ao transporte coletivo

Agência Brasil
·1 minuto de leitura

Pesquisa encomendada pela 99, empresa de mobilidade urbana, revelou que 86% dos entrevistados em seis capitais defendem incentivo ao uso de transporte coletivo ou compartilhado.

Realizada pelo Datafolha, a pesquisa ouviu 1.510 pessoas com 18 anos ou mais, pertencentes a todas as classes econômicas, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Salvador, no período da 9 a 24 de outubro deste ano.

Para quase metade das pessoas (47%), há insatisfação em relação à mobilidade urbana nas seis capitais, já que elas avaliaram o item como ruim ou péssimo. Apenas 19% consideraram ótima ou boa a mobilidade urbana nessas localidades, e 34% avaliaram como regular.

Apesar da diminuição do número de veículos nas ruas durante o período mais restrito de isolamento social, 62% das pessoas estão preocupadas com o aumento do trânsito no período pós-pandemia.

Para 64% dos entrevistados, o uso de veículos particulares piora a mobilidade urbana e, para 68%, a existência de carro por aplicativo diminui a necessidade de ter veículo próprio.

Parte dos moradores da capital paulista demonstrou insatisfação com a mobilidade urbana na cidade. Quando perguntados sobre sua percepção, 45% consideram ruim ou péssima, 35%, regular, e apenas 20%, ótima ou boa.

Ainda em São Paulo, 64% estão preocupados com o aumento do trânsito no pós-pandemia; 66% disseram que carros particulares pioram a mobilidade urbana; e 74% responderam que os carros por aplicativos diminuem a necessidade de ter veículo próprio.