Mercado abrirá em 9 h 38 min

Mizuho planeja dar opção de semana mais curta a funcionários

Taiga Uranaka e Yuki Hagiwara
·2 minutos de leitura

(Bloomberg) -- O Mizuho Financial, que avalia como será a vida profissional após a pandemia, planeja permitir que os funcionários trabalhem três ou quatro dias por semana com salário reduzido.

O terceiro maior banco do Japão está em negociações com sindicatos sobre a semana de trabalho mais curta, que poderia ser introduzida a partir de dezembro, disse uma porta-voz do banco, que confirmou comentários feitos pelo CEO Tatsufumi Sakai em evento na terça-feira.

O banco pode introduzir o programa em seis unidades, como banco comercial, banco fiduciário e corretora, o que envolveria cerca de 45 mil funcionários. Os empregados que optarem por trabalhar três dias na semana receberão 60% do salário e os que escolherem quatro dias, 80%, disse a porta-voz.

Assim como concorrentes japoneses e globais, o Mizuho avalia como a equipe e empresas vão operar quando a pandemia de coronavírus acabar. O banco planeja reduzir o espaço de escritórios em Nova York e em Londres e prevê que alguns funcionários continuarão a trabalhar em casa, mesmo quando a crise passar. Nomura, Deutsche Bank e Fifth Third Bancorp também veem oportunidades para cortar os altos custos com imóveis ao manter parte da equipe em casa.

As novas medidas visam ajudar funcionários a decidirem sobre o regime de trabalho, e o Mizuho espera que as horas reduzidas sejam utilizadas por funcionários que pretendem dedicar mais tempo ao cuidado dos filhos, pessoas dependentes ou educação, afirmou.

O banco tem tentado cortar custos por meio da otimização das operações, do corte de empregos e da introdução da tecnologia digital. A instituição tem como meta reduzir a força de trabalho em 19 mil pessoas até o final de março de 2027 por meio da rotatividade natural, de acordo com um plano de 10 anos iniciado em 2017.

O Mizuho adiou os planos de retorno aos escritórios nas cidades de Nova York e Londres em meio a preocupações com a Covid-19.

No Japão, onde há um número relativamente baixo de casos, apenas cerca de 20% dos funcionários da sede do banco em Tóquio estão trabalhando em casa.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.