Mercado fechado

Mitsubishi bate Shell e compra empresa holandesa de energia Eneco

Por Bart H. Meijer e Toby Sterling
Turbinas eólicas de geração de energia no parque eólico marítimo Eneco Luchterduinen, perto de Amsterdã

Por Bart H. Meijer e Toby Sterling

AMSTERDÃ (Reuters) - Um grupo liderado pela japonesa Mitsubishi vai adquirir a Eneco, em negócio que avaliou a empresa holandesa de energia em 4,1 bilhões de euros (4,52 bilhões de dólares), valor que supera as ofertas da Shell e da companhia de private equity KKR, informou a Eneco nesta segunda-feira.

A Eneco, empresa que pertence a 44 municípios holandeses e possui forte enfoque em energias renováveis, disse ter sido influenciada pelos planos da Mitsubishi de permitir que a companhia prossiga com sua estratégia e mantenha sua identidade corporativa.

O negócio, apoiado pelo conselho da Eneco e por um comitê que representa acionistas da empresa, ainda deve ser aprovado no início do ano que vem pelos investidores municipais da firma holandesa.

A Eneco afirmou que o grupo da Mitsubishi "fez a melhor oferta aos acionistas e demais proprietários de fatias da Eneco, incluindo funcionários".

A vitória da Mitsubishi é um golpe à petroleira Shell, que deseja se tornar uma grande geradora de eletricidade até 2030. O diretor de Novas Energias da empresa, Maarten Wetselaar, disse após o anúncio que a Shell "continuará procurando por oportunidades na transição energética".

O consórcio da Mitsubishi pretende investir 1 bilhão de euros nas operações da Eneco na Holanda, Alemanha e Bélgica nos próximos três anos, disse o diretor financeiro da empresa holandesa, Guido Dubbeld, em conferência com jornalistas.

Ele disse que o investimento ocorrerá "principalmente na Holanda, principalmente em (energia) eólica, um pouco menos em (energia) solar".

O acordo dará à Mitsubishi 80% da Eneco, além de uma fatia de 20% à sua parceira Chubu.

(Reportagem de Toby Sterling, com reportagem adicional de Aaron Sheldrick)