Mercado fechará em 5 h 27 min
  • BOVESPA

    109.794,11
    -157,38 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,68
    -0,79 (-1,01%)
     
  • OURO

    1.892,40
    +1,70 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    22.724,25
    -360,22 (-1,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    523,63
    -13,26 (-2,47%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.944,07
    +58,90 (+0,75%)
     
  • HANG SENG

    21.624,36
    +340,84 (+1,60%)
     
  • NIKKEI

    27.584,35
    -22,11 (-0,08%)
     
  • NASDAQ

    12.678,50
    +133,25 (+1,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6035
    +0,0361 (+0,65%)
     

Missão Gaia revela planeta que é quase uma “estrela fracassada”

Uma equipe de cientistas liderada por Sasha Hinkley, da Universidade de Exter, identificou o primeiro exoplaneta diretamente observado pela missão Gaia, da Agência Espacial Europeia. Ele orbita a estrela HD 206893, a cerca de 130 anos-luz da Terra — e, curiosamente, parece realizar fusão nuclear em seu interior.

Como os astrônomos já sabiam que a estrela é cercada por um disco de detritos, ela foi considerada uma boa candidata para a busca de exoplanetas, os mundos que orbitam outras estrelas. Após analisar os dados da missão Gaia, que coleta medidas de alta precisão do movimento das estrelas, eles observaram a estrela com o instrumento GRAVITY, do Very Large Telescope.

As observações da missão Gaia ajudaram a equipe a descobrir o exoplaneta (Imagem: Reprodução/ESA)
As observações da missão Gaia ajudaram a equipe a descobrir o exoplaneta (Imagem: Reprodução/ESA)

Foi assim que eles confirmaram a existência do exoplaneta, que é cerca de 13 vezes mais massivo que Júpiter. O mais curioso é que as observações do espectro da luz filtrada pela atmosfera dele sugere que o núcleo deste grande planeta está realizando fusão nuclear com deutério, um isótopo do hidrogênio.

Seu grande tamanho e a evidência da ocorrência de fusão nuclear indicam que, na prática, o HD 206893 c está no “meio-termo” entre ser um planeta propriamente dito e uma anã marrom. O nome descreve objetos que se formam como as estrelas, mas que não são massivos o suficiente para realizar a fusão nuclear típica delas, necessária para sustentar suas estruturas. Por isso, elas são conhecidas também como "estrelas fracassadas".

A descoberta pode ajudar os cientistas a definir melhor como diferenciam anãs marrons dos exoplanetas, e representa também o grande potencial da missão Gaia para encontrar candidatos a exoplanetas, confirmados depois com observações de outros telescópios. “A descoberta do HD 206893 c é muito importante para o estudo dos exoplanetas, já que o nosso [estudo] pode ser a primeira detecção direta de um ‘exoplaneta da Gaia”, disse Hinkley.

O artigo com os resultados do estudo foi aceito para publicação na revista Astronomy & Astrophysics e pode ser acessado no repositório online arXiv, sem revisão de pares.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: