Mercado abrirá em 3 hs
  • BOVESPA

    115.882,30
    -581,70 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.262,01
    -791,59 (-1,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,36
    -0,49 (-0,93%)
     
  • OURO

    1.840,00
    -8,90 (-0,48%)
     
  • BTC-USD

    31.123,37
    -644,52 (-2,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    627,45
    -0,21 (-0,03%)
     
  • S&P500

    3.750,77
    -98,85 (-2,57%)
     
  • DOW JONES

    30.303,17
    -633,83 (-2,05%)
     
  • FTSE

    6.460,72
    -106,65 (-1,62%)
     
  • HANG SENG

    28.550,77
    -746,76 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.197,42
    -437,79 (-1,53%)
     
  • NASDAQ

    12.944,00
    -161,50 (-1,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5480
    -0,0057 (-0,09%)
     

Missão de especialistas na China não busca 'culpado' por pandemia (OMS)

·1 minuto de leitura
Um casal passeia por Wuhan, na China, 10 de janeiro de 2021

A Organização Mundial da Saúde (OMS) garantiu nesta segunda-feira (11) que a missão de investigação sobre a origem da pandemia, que deve começar neste semana na China, não buscará encontrar "um culpado".

"Trata-se de compreender as origens da pandemia, não encontrar um culpado", afirmou o diretor de questões emergenciais de saúde da OMS, Michael Ryan. "Trata-se de encontrar respostas científicas para a interação entre o homem e o animal. É uma necessidade absoluta", acrescentou.

“O que procuramos são respostas, não culpados ou acusados”, enfatizou.

Pesquisadores da OMS que vão estudar a origem do coronavírus chegarão à China nesta semana, anunciou Pequim nesta segunda-feira, um ano após o relato da primeira morte no país por covid-19.

A visita destes 10 especialistas da OMS é um tema muito sensível para o regime chinês, preocupado em não ser considerado responsável pela pandemia que causou, até este momento, mais de 1,9 milhão de mortes no mundo. Na china, o vírus parece praticamente erradicado.

Em nota, o Ministério da Saúde chinês anunciou que a visita dos cientistas começaria nesta quinta-feira, uma semana após o adiamento da viagem, originalmente prevista para quarta-feira passada.

A missão é formada por dez especialistas de vários países (Dinamarca, Reino Unido, Holanda, Austrália, Rússia, Vietnã, Alemanha, Estados Unidos, Catar e Japão), renomados em suas diferentes áreas de atuação.

rjm/ial/cls/jvb/am/mvv