Mercado abrirá em 3 h 41 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,50
    -0,24 (-0,30%)
     
  • OURO

    1.653,90
    -1,70 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    19.238,44
    +155,68 (+0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    440,52
    -4,02 (-0,90%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.017,29
    -1,31 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.370,25
    -6,50 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0738
    -0,0238 (-0,47%)
     

Minotauro revela sentimento pela morte do amigo Leandro Lo: 'Fiquei sem chão'

Leandro Lo venceu três lutas para faturar o GP dos Médios e 100 mil reais (Foto Dai Buenos / TATAME)


O lutador Leandro Lo deixou um legado imenso para o esporte brasileiro. No entanto, sua morte segue sendo motivo de revolta para os brasileiros, especialmente os que o conheciam pessoalmente, como é o caso de Rodrigo Minotauro. O ex-atleta do UFC revelou, ainda no enterro, a mistura de sentimentos com o ocorrido.

+ Brasil lança camisas: confira uniformes vazados ou lançados para a Copa do Mundo

- O Leandro é um grande nome do esporte. Uma referência para todos, era um cara jovem no estilo de viver, todo garotão. Ele era muito intenso, a volta dele no último campeonato foi muito maneira. Um dos caras mais raçudos que eu já vi lutando, me identifico muito com ele nisso, essa vontade de vencer, isso é uma característica do brasileiro mesmo. Eu recebi a notícia às 5h da manhã, assim que estavam transferindo ele. Eu comecei a ligar pra todo mundo, corri para o aeroporto e consegui um voo mais cedo. Quando eu estava descendo eu recebi a notícia do falecimento dele. Fiquei 20 minutos sentado na cama procurando o que fazer. Fiquei sem chão, todo mundo sem chão, pro que esse cara representa pro esporte - disse, antes de prosseguir e pedir justiça ao caso:

É uma perda nacional, e a maneira agressiva com que isso aconteceu. Quantas vezes isso já aconteceu sabe, tá em festa bebendo usando arma. A gente não pode trazer o Leandro de volta, estamos aqui revoltados, mas podemos lidar por esse ideal. Queremos justiça, novas leis, que as pessoas sejam mais enérgicas na hora de observar essa questão das armas. Outras vidas podem ser salvas - analisou, de maneira enfática.

+ PM acusado de atirar em Leandro Lo já foi condenado por incidente em boate

Ainda no plano da revolta de amigos, familiares e personalidades do mundo da luta no Brasil, Minotauro seguiu pregando a justiça. Além de prevenir que novas vidas sejam perdidas, o ex-lutador brasileiro frisou que, apesar de não estar presente no momento, o porte de armas em um evento privado é 'uma loucura'.

- Eu não posso entrar nesse assunto pq eu não tava lá. Não vi nada, se eu estivesse presente poderia, mas não sei exatamente o que aconteceu. Todos que falaram foi no caminho dele pro hospital. Isso não pode acontecer né? Dentro de um evento privado, isso é loucura - comentou.

Minotauro falou com muito carinho sobre Leandro Lo. Além de contar sobre uma resenha inusitada, o ex-campeão do UFC fez questão de exaltar a alegria do amigo, assim como o pai dele, também em entrevista ao L!.

- O Leandro é um ídolo mundial. Oito vezes campeão mundial, um dos três melhores representantes do esporte na atualidade. Uma pessoa alegre, não via o Leandro como um cara agressivo. Nunca vi ele assim. Eu tava fazendo o superchefe da Ana Maria Braga e na última semana, estressado, e para desestressar fomos pra um Seminário em Ibiza. Eu, Leandro é Buchecha. Leandro era alegria, toda vez que ele chegava puxava todo mundo, fazia piada, não parava de rir. A imagem que eu tenho dele é algo que contagia - finalizou.

Leandro Lo foi assassinado aos 33 anos, vítima de um tiro na cabeça. Enquanto curtia um show do Grupo Pixote, na Zona Sul de São Paulo, o campeão mundial de jiu-jitsu se desentendeu com o tenente da Polícia Militar (PM), Henrique Velozo.

+ Conheça a trajetória do multicampeão de Jiu-Jitsu Leandro Lo, morto no último domingo

Após imobilizar o PM, com intuito de terminar o conflito, Lo recebeu o disparo e caiu no chão inconsciente. Segundo testemunhas, Velozo ainda deu dois chutes enquanto o lutador estava caído. Ele está preso pela Polícia de São Paulo e aguarda os desdobramentos da investigação.