Mercado abrirá em 4 h 30 min
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,78
    +0,42 (+0,58%)
     
  • OURO

    1.784,80
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    49.628,73
    -909,10 (-1,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.298,39
    -6,73 (-0,52%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    24.252,39
    +255,52 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    28.725,47
    -135,15 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    16.378,50
    -13,75 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2736
    -0,0005 (-0,01%)
     

Ministros da UE discutem salto da inflação e reforma das regras orçamentárias

·2 min de leitura
Presidente do BCE, Christine Lagarde

Por Jan Strupczewski

BRUXELAS (Reuters) - Os ministros das Finanças da União Europeia (UE) discutem nesta segunda-feira a alta nos preços ao consumidor, seu impacto sobre os salários e as alterações que gostariam de fazer nas regras orçamentárias do bloco para apoiar o investimento e reduzir a dívida.

A inflação subiu 4,1% no mês passado em comparação com o mesmo período no ano anterior nos 19 países que compartilham o euro, ante 3,4% em setembro. Os ministros estão começando a temer que o aumento possa impulsionar um crescimento mais forte dos salários, criando uma espiral inflacionária.

"Isso foi mais rápido do que o esperado", disse uma autoridade de alto escalão da UE envolvida na reunião. "Os 4,1% devem gerar discussão."

O aumento foi impulsionado principalmente por um salto de 23,5% nos preços de energia, o qual a autoridade disse que eventualmente recuará, embora não deva retornar para os níveis anteriores à pandemia de Covid-19.

"Devemos voltar a números de inflação mais benignos, mas o processo será mais lento do que o esperado e o risco de efeitos secundários na formação dos salários é claramente algo que precisa ser levado a sério e monitorado", disse.

O Banco Central Europeu (BCE), encarregado de manter a inflação em 2% no médio prazo, dará informações aos ministros. O economista-chefe do BCE, Philip Lane, em comentários publicados pelo jornal espanhol El Pais nesta segunda-feira, reiterou a mensagem do banco de que o forte aumento dos preços é temporário.

"Acreditamos que no próximo ano os gargalos (de oferta) diminuirão e os preços da energia vão cair ou se estabilizar", disse Lane. "Esse período atual de inflação é muito incomum, temporário e não é um sinal de uma situação crônica."

A Comissão Europeia, que também apresentará sua visão aos ministros e divulgará na quinta-feira suas previsões econômicas para a inflação, também acredita que a inflação vai diminuir.

"Os preços da energia têm um impacto decisivo neste aumento da inflação, e o fenômeno será temporário, provavelmente reduzindo-se no primeiro semestre do ano que vem", disse o Comissário de Economia, Paolo Gentiloni, a repórteres ao entrar na reunião.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos