Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,30 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.872,00
    +31,80 (+1,73%)
     
  • BTC-USD

    35.024,92
    +624,95 (+1,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    694,12
    -6,49 (-0,93%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.962,47
    +320,19 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.523,26
    -110,20 (-0,38%)
     
  • NASDAQ

    13.290,50
    +305,00 (+2,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4067
    -0,0919 (-1,41%)
     

Ministro Ramos diz que presidente do Congresso vai pautar LDO de 2021 para 16 de dezembro

Por Ricardo Brito
·1 minuto de leitura
Edifício do Congresso Nacional

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Ramos, afirmou na nesta terça-feira em uma rede social que o presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), vai incluir a proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021 na pauta da sessão conjunta no dia 16 de dezembro.

"Após uma reunião muito produtiva com o Pres do Congresso Sen David Alcolumbre, fui comunicado que ele irá pautar a LDO no dia 16 Dez! Com isso o Pres do Congresso demonstra elevado espírito público e sua preocupação com o Brasil", disse Ramos, no Twitter.

Geralmente, a LDO do ano seguinte -- que serve de base para a confecção do Orçamento -- é votada no primeiro semestre. Com o atraso da proposta, a expectativa é que o Orçamento de 2021 seja apreciado apenas no próximo ano, com o governo se valendo da regra dos chamados duodécimos para executar as despesas públicas (em que a cada mês só pode ser usado um doze avos do Orçamento).

Tanto a LDO quanto o Orçamento passam pela Comissão Mista do Orçamento (CMO), colegiado esse cujo funcionamento está emperrado em razão de uma disputa pelo seu controle nos bastidores entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o líder do PP e cotado para comandar a Casa no próximo ano, Arthur Lira (AL).