Ministro iraquiano cobra acordo sobre secretário da Opep

O ministro de Petróleo do Iraque, Abdul Kareem Luaibi, afirmou neste domingo (9) que será difícil chegar a um acordo na reunião desta semana da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) sobre o novo secretário-geral do grupo. Segundo ele, a falta de um acordo será muito perigosa para o futuro da organização e também pode gerar um risco para o mercado.

"Eu quero que todos os membros da Opep entendam esse perigo", comentou Luaibi em um encontro com jornalistas. Após o Equador retirar sua candidatura, três países ainda estão no páreo. A Arábia Saudita indicou Majid al-Moneef, o Iraque propôs Thamir Ghadhban, e o Irã apontou Gholam Hossein Nozari. Mas Luaibi afirma que o Irã não atendeu aos critérios de seleção e a delegação do país abandonou uma reunião em outubro em função de suas objeções aos procedimentos para a escolha do novo secretário-geral.

O ministro iraquiano também desmentiu rumores de que o atual líder da Opep, Abdalla Salem el-Badri, poderia continuar no cargo. "Eu não acho que haverá uma extensão do mandato de el-Badri, porque ele usou todo seu período de extensão", comentou. "Nós esperamos que haja uma solução que possa ser aceita por todos os países. Os candidatos deveriam ser escolhidos por competência", acrescentou.

Luaibi também disse que a Opep não vai discutir a questão das cotas individuais de produção de cada país na reunião desta semana. "O mercado de petróleo esteve estável nos últimos quatro meses e não há necessidade de mudar o teto de produção", afirmou. As informações são da Dow Jones.

Carregando...