Mercado abrirá em 6 h 40 min
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,18
    +0,01 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.874,30
    +6,30 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    13.470,30
    -16,93 (-0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,44
    +20,76 (+8,55%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.544,66
    -41,94 (-0,17%)
     
  • NIKKEI

    23.134,42
    -197,52 (-0,85%)
     
  • NASDAQ

    11.188,25
    -154,50 (-1,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7477
    +0,0021 (+0,03%)
     

Ministro diz que privatização dos Correios pode levantar R$ 15 bilhões

Marcus Couto
·2 minutos de leitura
O presidente dos Correios, Floriano Peixoto, junto ao presidente Jair Bolsonaro. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
O presidente dos Correios, Floriano Peixoto, junto ao presidente Jair Bolsonaro. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse à agência de notícias Bloomberg que a venda dos Correios a um grupo privado pode levantar até R$ 15 bilhões.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O ministro falou ainda que o projeto está em “fase final” e que deve ser enviado ao Congresso para “aprimoramento” até o final deste ano.

Leia também

"Podíamos fazer uma PEC ou um projeto de lei, mas optamos pelo projeto de lei que deve ser finalizado no Ministério das Comunicações nos próximos 15 dias e enviado ao Palácio do Planalto para ajustes. Até o fim do ano, o Executivo terá feito e entregue o seu dever de casa e o projeto estará no Congresso para ser aprimorado pelos deputados e senadores”, disse o ministro.

Na semana passada, Faria revelou que há cinco grupos interessados na compra dos Correios brasileiros. Entre eles, as redes de varejo Magazine Luiza, Amazon e Fedex (essas duas últimas estrangeiras).

O serviço postal nacional tem estado no centro de uma discussão sobre sua privatização, acelerada por uma greve de funcionários contra condições de trabalho precárias, e a criação de uma “casta” de supersalários no topo da empresa, composta por militares ligados ao atual presidente, o general Floriano Peixoto Vieira Neto.

Os Correios afirmam que as condições financeiras da empresa não permitem atender às reivindicações dos funcionários.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube