Mercado fechará em 2 h 6 min
  • BOVESPA

    108.656,03
    +826,30 (+0,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.852,81
    -482,70 (-0,91%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,34
    +0,20 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.884,80
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    22.887,11
    -104,05 (-0,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    527,47
    -9,43 (-1,76%)
     
  • S&P500

    4.119,06
    -44,94 (-1,08%)
     
  • DOW JONES

    33.945,55
    -211,14 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.529,00
    -247,75 (-1,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6000
    +0,0229 (+0,41%)
     

Ministro das Finanças do Japão promete conquistar confiança do mercado na gestão da dívida

Ministro das Finanças do Japão, Shunichi Suzuki, durante abertura da bolsa de valores de Tóquio, em Tóquio, Japão

Por Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO (Reuters) - O Japão se esforçará para manter a confiança do mercado conduzindo uma gestão responsável de sua dívida, disse o ministro das Finanças, Shunichi Suzuki, nesta terça-feira, ao mesmo tempo em que o rendimento do bônus de 10 anos do governo ultrapassava o limite máximo de 0,5% estabelecido pelo banco central.

Questionado se o Banco do Japão deveria tomar alguma medida para conter o aumento dos rendimentos dos títulos e corrigir as distorções do mercado, Suzuki disse a repórteres que tal decisão deve ser deixada para o banco central tomar como instituição independente.

A especulação é abundante nos mercados financeiros de que o Banco do Japão tomará novas medidas para lidar com o aumento dos rendimentos dos títulos em sua reunião de dois dias para definição de políticas, que termina na quarta-feira. A instituição surpreendeu os mercados no mês passado ao ampliar o limite de rendimento do título de 10 anos.

"Os rendimentos dos títulos governamentais são definidos por vários fatores no mercado", disse Suzuki, acrescentando que o Japão deve manter a disciplina fiscal para manter a confiança na sustentabilidade fiscal de médio a longo prazo.

"Aumentos nos rendimentos dos títulos podem elevar os pagamentos de juros sobre a dívida do Japão, que supera o dobro de seu PIB, apertando os gastos relacionados à política econômica e tornando as finanças do Japão inflexíveis", disse ele.

Quando questionado sobre o próximo presidente do banco central, que substituirá Haruhiko Kuroda quando seu mandato terminar em 8 de abril, Suzuki disse que o governo considerará cuidadosamente as condições no momento de escolher a pessoa mais adequada.

(Reportagem de Tetsushi Kajimoto)