Mercado abrirá em 27 mins
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,00
    -1,39 (-3,72%)
     
  • OURO

    1.878,50
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    13.119,29
    -44,10 (-0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    259,23
    -13,46 (-4,94%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.581,69
    -1,11 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.218,75
    +86,00 (+0,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7151
    -0,0193 (-0,29%)
     

Ministro das Comunicações admite informação errada do governo, mas acusa imprensa de ‘procurar pelo em ovo’

·2 minutos de leitura
The new Communications Minister Fabio Faria speaks during his inauguration ceremony at the Planalto Palace, in Brasilia, Brazil June 17, 2020. REUTERS/Adriano Machado
Ministro das Comunicações, Fábio Faria, criticou a imprensa (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, (PSD-RN), disse que o governo errou quando divulgou informações erradas sobre os números de queimadas no Brasil neste ano, mas direcionou as críticas à imprensa.

Em entrevista ao UOL, Faria se referiu ao dado divulgado pela Secretaria Especial da Comunicação Social como um erro. A publicação diz: “Mesmo com os focos de incêndio que acometem o Pantanal e outros biomas brasileiros, a área queimada em todo o território nacional é a menor dos últimos 18 anos”. No entanto, só são contabilizados os números até agosto.

Segundo o ministro, o post mostrou uma “fotografia”. “Não era interessante mostrar a fotografia? A gente pode chegar em 31 de dezembro com essa afirmativa, pode ser correta. Apesar de o ano não ter acabado, temos um dos anos com a perspectiva de menores índices de queimadas, como mostra a fotografia. Essa é a notícia real", disse.

Dados levantados pelo Uol mostram que, se a Secom comparasse os oito primeiros meses de 2020 com o mesmo período dos anos anterior, 2019 seria o ano com mais queimadas.

O ministro ainda afirmou que a imprensa exagerou ao tratar do episódio. "Concordo que tem que buscar pelo em ovo, mas quando a gente busca, a gente é acusado. Enquanto tiver pelo em ovo, terá dos dois lados. Enquanto tiver pelo em ovo, teremos intolerância dos dois lados. A autocrítica tem que ser de todos", afirmou.

Leia também:

Fábio Faria ainda acusou os meios de comunicação de se pautares apenas por fatos negativos do governo. "É importante que o país acompanhe, coloque na pauta central dele as realizações do governo, o que o governo tem feito”, o ministro ainda acrescentou que a economia está crescendo e o foco deveria ser nesse aspecto.

Outra crítica feita por Faria foi o fato de imprensa repercutir falar do presidente Jair Bolsonaro. "O presidente falou duas palavras, aí ligavam para o deputado do PT [para perguntar o que ele] acha da palavra do presidente. Ali enchiam a pauta. Muitas vezes, o presidente estava com entregas importantes, como quando estava levando águas do São Francisco para o Ceará. Mas a imprensa estava falando o quê? Que o presidente tinha falado duas palavras na saída do Alvorada. Ali [a imprensa] fazia com que se diminuísse a percepção nas entregas do governo", declarou.