Mercado abrirá em 7 h 35 min
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    62.118,68
    +963,23 (+1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Ministro da Justiça tem vitória com inclusão de benefícios para policiais na reforma administrativa

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A comissão especial da reforma administrativa confirmou uma vitória do ministro Anderson Torres (Justiça) ao manter no texto do relator Arthur Maia (DEM-BA) a possibilidade de aposentadoria para policiais com o salário integral, reajustado como os da ativa e pensão por morte para os cônjuges.

Como mostrou a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, Torres foi escalado pelo presidente Jair Bolsonaro para aparar as arestas com as carreiras da segurança pública causadas pela reforma da Previdência e pela PEC Emergencial.

Bolsonaro prometeu aos policiais reverter as perdas logo após ser alvo de críticas das carreiras por causa da aprovação da PEC Emergencial.

À época, em abril deste ano, ele se reuniu com deputados da bancada da bala e prometeu que o governo atuaria para amenizar as perdas para as carreiras da segurança pública.

Na segunda (13), Maia esteve com Torres acompanhado do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e um dos temas do encontro foi, justamente, a inclusão desses temas na reforma administrativa.

​Na quinta (16), quando a inclusão dos benefícios aos policiais foi criticada e o relator sinalizou um possível recuo, Torres voltou a utilizar suas redes para afirmar que seguia nas tratativas com Maia e Lira.

“Não fazer isso, não conceder essa condição agora é uma maldade com pessoas que estão se aposentando depois de trabalhar na polícia e que estão na expectativa de ter essa paridade e essa integralidade”, disse Maia durante a votação do texto da reforma na comissão especial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos