Mercado abrirá em 1 h 37 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,42
    -0,04 (-0,06%)
     
  • OURO

    1.777,50
    +10,70 (+0,61%)
     
  • BTC-USD

    60.295,75
    -2.192,44 (-3,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.337,03
    -43,91 (-3,18%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    7.014,05
    +30,55 (+0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.015,25
    +1,25 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7273
    +0,0062 (+0,09%)
     

Ministro da Educação diz que pediu prioridade na vacinação de professores: 'Eu creio que para abril'

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Milton Ribeiro, ministro da Educação (MEC) - Foto: Fickr/Palácio do Planalto
Milton Ribeiro, ministro da Educação (MEC) - Foto: Fickr/Palácio do Planalto

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse nesta terça-feira (16) que pediu ao ainda ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, prioridade na vacinação de professores contra a Covid-19. De acordo com Ribeiro, o objetivo é acelerar a retomada das aulas presenciais.

Na manhã desta terça (16), Ribeiro foi ao Ministério da Saúde para conversar com Pazuello, que também recebeu o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que assumirá o cargo na pasta, para tratar de assuntos sobre a transição. 

Leia também:

"Eu vim aqui pedir para que eles analisem a possibilidade de vacinar todos os professores para que a gente possa retomar a questão das aulas presenciais. Esse foi o nosso objetivo. A resposta é que está sendo analisado, o mais cedo possível, e que isso vai entrar na escala, eu creio, que para abril, antes de maio, isso vai ser possível", afirmou Ribeiro.

Embora o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não venha conseguido acelerar o plano de vacinação contra o coronavírus, com atrasos na compra de vacinas e brigas políticas sobre a eficacácia dos imunizantes, o ministro da Educação disse que "queria dar essa oportunidade para os professores".

"Nós estamos aí todo mundo, naturalmente, precisa da vacina e eu queria dar essa oportunidade para os professores. Mas nós temos em torno de 2 milhões e meio a três milhões de professores que poderiam ser alvo dessa vacinação", completou.

O Brasil tem entre 2,5 milhões e 3 milhões de profissionais que poderiam ser alvo da estratégia de vacinação. A possibilidade de antecipar a vacinação de professores também tem sido pleiteada por associações que reúnem prefeitos.

Em fevereiro, Pazuello chegou a dizer em reunião com gestores municipais que tentaria antecipar a vacinação de professores para março. A data, porém, não foi confirmada.

Fila da vacinação

Desde o começo da pandemia, o ministério divulgou uma versão do Plano Nacional de Imunizações (PNI) e quatro informes técnicos que apresentam diretrizes para a vacinação ou detalhamentos.

O mais recente informe técnico que cita a ordem para vacinação é o segundo, de 23 de janeiro. Nele, os professores ocupam a 15ª posição. Veja a lista abaixo:

  1. Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas

  2. Pessoas com Deficiência Institucionalizadas

  3. Povos indígenas vivendo em terras indígenas

  4. Trabalhadores da Saúde

  5. Pessoas de 80 anos e mais

  6. Pessoas de 75 a 79 anos

  7. Pessoas de 70 a 74 anos

  8. Pessoas de 65 a 69 anos

  9. Pessoas de 60 a 64 anos

  10. Pessoas com comorbidades

  11. Pessoas com deficiência permanente grave

  12. Pessoas em situação de rua

  13. População privada de liberdade

  14. Funcionários do sistema de privação de liberdade.

  15. Trabalhadores da educação

  16. Forças de Segurança e Salvamento

  17. Forças Armadas

  18. Trabalhadores de Transporte Coletivo Rodoviário de Passageiros Urbano e de Longo Curso

  19. Trabalhadores de Transporte Metroviário e Ferroviário

  20. Trabalhadores de Transporte Aéreo

  21. Trabalhadores de Transporte Aquaviário

  22. Caminhoneiros

  23. Trabalhadores Portuários

  24. Trabalhadores Industriais