Mercado abrirá em 2 h 28 min

Ministro da Educação cai em fake news sobre demissão de Reinaldo Azevedo e se retrata

Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images

Abraham Weintraub, ministro da Educação de Jair Bolsonaro, caiu em uma fake news nesta segunda-feira (27) ao comentar a suposta demissão do jornalista Reinaldo Azevedo. Horas depois, Weintraub pediu desculpas pelo engano.

Pela manhã, Weintraub compartilhou uma notícia que dizia que a Rádio Bandnews teria demitido o jornalista. Acima da manchete, o ministro ironizou a suposta queda de Azevedo.

Leia também

"Ora ora ora e tal e tal e tal. Perguntar não ofende: será que, após os gastos milionários do Estado de São Paulo (Doria/PSDB) com rádios privadas, esta pessoa terá dificuldade em se recolocar? Vejam, paulistas, como o dinheiro de seu IPVA é "bem" aproveitado.”

Horas depois, o ministro voltou ao Twitter e se desculpou. Ele admitiu ter caído em uma notícia falsa e lamentou a grande disseminação de fake news nas redes sociais.

"Peço desculpas, pois, aparentemente, é uma fake news difundindo uma demissão que não ocorreu. Sei bem o que é isso. Hoje em dia, não podemos confiar em certos veículos de desinformação...", escreveu o ministro.

Nas respostas, o ministro foi duramente criticado por seus seguidores. Um deles relembrou o histórico de polêmicas ao afirmar que o Weintraub “não acerta uma”.

Em outras respostas, seguidores pediram que Weintraub focasse suas atenções em resolver os problemas ocorridos na edição de 2019 do Enem.

Posição oficial

Também no Twitter a BandNews, por meio de seu perfil oficial, explicou os motivos da ausência de Reinaldo Azvedo em seu programa na última sexta-feira (24).

"A BandNews FM informa que o jornalista Reinado Azevedo, apresentador do programa O É da Coisa, não foi demitido. Ao contrário do que alguns veículos de comunicação noticiaram no final de semana, Reinaldo Azevedo segue contratado pela emissora", completou.

Reinaldo Azevedo deve voltar ao seu program na rádio na tarde desta segunda-feira (27).