Mercado abrirá em 1 h 11 min

Ministro afirma que deve levar 10 dias para restabelecer toda energia no Amapá

·3 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO***Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 06/11/2019;  Bento Albuquerque,ministro de Minas e energia participa de coletiva de imprensa após leilão
***FOTO DE ARQUIVO***Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 06/11/2019; Bento Albuquerque,ministro de Minas e energia participa de coletiva de imprensa após leilão

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) afirmou nesta sexta-feira (6) que pretende restabelecer completamente o serviço de distribuição de energia elétrica no Amapá em um prazo de 10 dias.

O estado está há mais de 60 horas sem energia elétrica, após incêndio em subestação de distribuição de energia elétrica. O incidente aconteceu na noite de terça-feira (3).

O apagão atinge 14 dos 16 municípios amapaenses, onde vivem cerca de 90% da população estadual. Apenas Oiapoque, no extremo norte, e Laranjal do Jari, no extremo sul, têm eletricidade.

Além da falta de energia elétrica, há registros de desabastecimento de água e alimentos. Muitos supermercados tiveram filas nos últimos dias e se encontram com prateleiras vazias.“Em até 10 dias nós pretendemos restabelecer 100% da energia no Amapá”, afirmou o ministro, após reunião na manhã desta sexta-feira, com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O ministério também afirmou que pretende restabelecer 70% do fornecimento de energia elétrica até o fim da tarde. Essa no entanto, era a previsão para o dia anterior. Questionado por que não houve o restabelecimento no prazo previsto anteriormente, Bento Albuquerque afirmou que a situação é “complexa”.

“Está em curso [a operação para restabelecimento], não deu certo [na quinta-feira] porque é complexo. O equipamento já foi reparado na sua parte física e agora está havendo a filtragem do óleo do equipamento. Para se ter noção do volume, são 45 mil litros de óleo. E tem que se ter certeza de que está em condições de operação”, afirmou.

“Por isso estamos trabalhando e acreditamos que até o final do dia de hoje nós tenhamos esse transformador em operação novamente”.

Bento Albuquerque afirmou que outros geradores termoelétricos estão sendo transferidos para o Amapá para que seja possível suprir o resto da demanda. Além desse, o ministério pretende encaminhar um outro equipamento para a região nos próximos 15 a 20 dias, para que haja um equipamentos “reserva”.

Nesta sexta-feira, aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) começaram operação para levar, de São Luís (MA) para Macapá, 51 toneladas de materiais para restabelecerem em caráter emergencial o fornecimento de energia elétrica no estado. As aeronaves levam máquinas de purificação de óleo e geradores, em uma missão prevista para terminar no sábado (7).

Ao lado do ministro, Alcolumbre elogiou a atuação do governo federal e afirmou que o incidente representou uma “fatalidade”, um “acidente natural”.

“Lógico que em algum momento as autoridades vão averiguar e investigar responsáveis, que com certeza serão punidos lá na frente. Mas foi uma fatalidade que agora estamos buscando a solução para o problema”, afirmou o presidente do Senado.

“As notícias [da reunião com o ministro] foram todas positivas, porque você não encontra um transformador numa prateleira. E o Amapá é um estado brasileiro distante do centro, é uma ilha. Você só chega no Amapá de avião ou de barco. Então não tem numa prateleira um transformador e se tivesse precisaria de um equipamento para transportar cem toneladas, 100 mil quilos. Então é muito complicado, o setor elétrico, são questões muito técnicas”, completou.