Mercado abrirá em 9 h 26 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,58
    +0,19 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    13.230,12
    +12,83 (+0,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,76
    -10,93 (-4,01%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.582,80
    -146,19 (-2,55%)
     
  • HANG SENG

    24.390,58
    -318,22 (-1,29%)
     
  • NIKKEI

    23.256,89
    -161,62 (-0,69%)
     
  • NASDAQ

    11.226,00
    +93,25 (+0,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7402
    +0,0058 (+0,09%)
     

Ministra da Espanha sinaliza atrasos em fundo de recuperação

Jeannette Neumann, Maria Tadeo e Matthew Miller
·2 minutos de leitura

(Bloomberg) -- A ministra da Economia da Espanha, Nadia Calvino, disse que as negociações sobre o fundo de recuperação da pandemia da União Europeia “ainda estão em andamento”, o que sugere preocupação para a rápida distribuição de bilhões de euros a estados membros.

Disputas sobre governança têm atrasado o desembolso de fundos que deveriam impulsionar a recuperação econômica da região já no início do próximo ano.

“Estamos fazendo o possível para acelerar esse processo para que possamos iniciar a implementação do plano de recuperação em 1º de janeiro de 2021”, disse Calvino em entrevista na quarta-feira à Bloomberg Television.

O PIB da Espanha deve registrar uma das quedas mais fortes da Europa neste ano, com o país entre um dos maiores destinatários dos fundos de recuperação da UE para aliviar a crise econômica.

Enquanto os governos aguardam a distribuição desses recursos, a compra de títulos do Banco Central Europeu reduziu os custos dos juros e ajudou tesouros nacionais a financiarem sua resposta fiscal de emergência.

“Tudo aponta para uma continuação dessas políticas monetárias acomodatícias, o que será fundamental no futuro”, disse Calvino. Ela acrescentou que “a confiança do mercado na Espanha é forte”, o que permitiu ao país reduzir a meta de emissão de dívida líquida neste ano em 15 bilhões de euros (US$ 17,6 bilhões).

“O ambiente na Europa neste momento é de apoio a medidas fiscais expansionistas que acompanhariam a política monetária expansionista”, afirmou. “Acho que essa é a postura certa que continuará em 2021.”

Calvino disse que o governo tem “trabalhado intensamente” em um orçamento para 2021, que será necessário para canalizar adequadamente os fundos da UE quando os recursos chegarem.

A Espanha prometeu 140 bilhões de euros em garantias de empréstimos apoiadas pelo estado, e Calvino disse que pedidos desses empréstimos “têm desacelerado de forma muito significativa com a reabertura da economia, com o início da recuperação econômica”. A Espanha manterá essas medidas em vigor, disse a ministra, e tentará torná-las mais direcionadas.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.