Mercado abrirá em 1 h 9 min
  • BOVESPA

    113.707,76
    +195,38 (+0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.734,04
    -67,64 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,21
    +1,10 (+1,25%)
     
  • OURO

    1.784,90
    +8,20 (+0,46%)
     
  • BTC-USD

    23.504,51
    -259,59 (-1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    559,33
    -13,49 (-2,35%)
     
  • S&P500

    4.274,04
    -31,16 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    33.980,32
    -171,69 (-0,50%)
     
  • FTSE

    7.521,65
    +5,90 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    -158,54 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.517,75
    +24,50 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2615
    +0,0023 (+0,04%)
     

Ministra da Economia argentina oferece renúncia em meio a rumores de mudanças no governo

Ministra da Economia da Argentina, Silvina Batakis

BUENOS AIRES (Reuters) - A ministra da Economia da Argentina apresentou nesta quinta-feira sua renúncia ao presidente Alberto Fernández, que a teria rejeitado, segundo relatos da imprensa local, num momento de fortes rumores de mudanças no governo, que atravessa uma crise política.

A carta de demissão chegou em um período de graves dificuldades financeiras para o país, que nos últimos dias desencadearam diferentes especulações sobre possíveis mudanças no gabinete, como a ida do presidente da Câmara dos Deputados, Sergio Massa, para o Ministério da Economia ou outro cargo-chave na gestão.

A atual ministra da Economia, Silvina Batakis, assumiu o posto há menos de um mês, após a surpreendente renúncia de seu antecessor, Martín Guzmán, e chegou nesta manhã de uma viagem a Washington, onde se reuniu com investidores e autoridades do Fundo Monetário Internacional (FMI), o Departamento de Estado norte-americano e o Banco Mundial.

Antes, o secretário de Assuntos Estratégicos da Argentina, Gustavo Béliz, cargo de extrema confiança do presidente, havia renunciado ao posto.

Porta-vozes do governo não responderam imediatamente a pedidos da Reuters por comentários.

(Por Nicolás Misculin)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos