Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,82 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,77 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,90
    +0,14 (+0,16%)
     
  • OURO

    1.724,10
    +3,30 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    20.075,89
    -229,58 (-1,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,09
    -2,31 (-0,50%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,43 (-0,14%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,47 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,33 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.623,25
    -0,50 (-0,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1376
    -0,0303 (-0,59%)
     

Ministério Público pede a suspensão de leilão de rodovias paulistas na B3

***ARQUIVO***JUNDIAI, SP, 05.07.2022 - Rodovia dos Bandeirantes no cruzamento com a Anhanguera, no entorno de Jundiaí, em SP. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
***ARQUIVO***JUNDIAI, SP, 05.07.2022 - Rodovia dos Bandeirantes no cruzamento com a Anhanguera, no entorno de Jundiaí, em SP. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) solicitou nesta quinta-feira (15) a suspensão de um leilão do Governo de São Paulo que concederá para a iniciativa privada a exploração de 600 km de rodovias no estado. O parecer atende a uma ação apresentada pela Associação Brasileira de Usuários de Rodovias Sob Concessão (Usuvias) no início desta semana.

Chamado de "Lote Noroeste", o trecho em disputa atravessa 32 cidades paulistas, como Araraquara, Barretos, Catanduva, São José do Rio Preto e Sertãozinho, e será concedido pelo prazo de 30 anos. Atualmente, ele é explorado por duas concessionárias.

De acordo com a Usuvias, porém, o governo planeja fazer um leilão avaliado em mais de R$ 10 bilhões sem apresentar uma planilha de cálculo que explique o valor das tarifas de pedágio que serão cobradas no local.

A sustentação foi acatada pelo Ministério Público de São Paulo, que pede a suspensão do leilão até que os valores aplicados sejam verificados. Segundo o órgão, é necessário garantir a proteção ao patrimônio público e social e o respeito aos princípios constitucionais de legalidade, moralidade e transparência.

Se o parecer for acatado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, o certame marcado para às 14h desta terça na Bolsa de Valores será suspenso.

"O Governo do estado de São Paulo pretende entregar para a iniciativa privada a exploração de seiscentos quilômetros de rodovias sem demonstrar, concretamente, como elaborou os cálculos do elevado valor das tarifas que serão pagas pelo uso das vias que cortam trinta e duas Comarcas paulistas", afirma o MP-SP.

Outro ponto apresentado pela Usuvias e acatado pelo Ministério Público paulista é o de que o leilão não faz distinção de preço para diferentes tipos de rodovias. "Cada projeto de concessão apresenta dimensões e peculiaridades próprias que deveriam resultar em tarifas distintas", afirma o parecer.

De acordo com certame publicado pelo Governo de São Paulo, os valores de referência são de R$ 0,2084 cobrados por km em caso de pista dupla e de R$ 0,1488 por km para pista simples.

O advogado e diretor-executivo da Usuvias, Edison Araújo, celebra o posicionamento do Ministério Público nesta quinta. "Essas tarifas foram chutadas, não foram feitas com base em planilha", afirma. "Os pedágios de São Paulo são a galinha dos ovos de ouro da concessionárias. O governo fala que está zelando pelos usuários, mas não faz o mínimo necessário", segue.

A entidade que Araújo representa atualmente é composta por membros da sociedade civil como caminhoneiros, motoristas, empresários do ramo de transporte e pessoas que moram nas proximidades de rodovias.

O diretor-executivo diz que a tarifa estipulada pelo Governo de São Paulo é a mesma desde os anos 1990. Ele destaca, ainda, que os trechos rodoviários costumam exigir diferentes tipos de manutenção, indo da iluminação ao número de postos de pedágios instalados e o de funcionários necessários para a sua operação. "Mas na tabela [do Lote Noroeste], a tarifa de todas as nove concessões são iguais", afirma.