Mercado abrirá em 30 mins
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,32
    +0,83 (+1,18%)
     
  • OURO

    1.772,30
    -5,90 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    42.045,51
    -1.248,46 (-2,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.047,94
    -15,90 (-1,49%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    7.068,67
    +87,69 (+1,26%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.074,75
    +50,75 (+0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1771
    -0,0020 (-0,03%)
     

Ministério da Saúde vai antecipar segunda dose da vacina da Pfizer

·2 minuto de leitura

No último sábado (14), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou o objetivo de antecipar a aplicação da segunda dose da vacina da Pfizer a partir do mês de setembro.

"À medida que a gente avança na primeira dose, já se rediscutiu colocar a Pfizer no intervalo de 21 dias, em setembro. Nós já temos 70% da população acima de 18 anos com uma dose", afirmou o ministro. Por enquanto, o intervalo entre as doses da Pfizer é de três meses, mas já estava na mira do Ministério da Saúde adiantar a segunda dose. O governo federal precisou priorizar a aplicação de pelo menos uma dose em toda a população com idade a partir dos 18 anos, no entanto.

Mas o que muda com esse novo objetivo do Ministério da Saúde? Basicamente, a população poderá completar o esquema vacinal da Pfizer em três semanas, sendo que atualmente esse período é de três meses. A ideia do adiantamento é conter a disseminação da variante Delta (confira tudo o que sabemos até agora sobre a cepa no Brasil).

(Imagem: FabrikaPhoto/Envato Elements)
(Imagem: FabrikaPhoto/Envato Elements)

Esse período de três meses foi adotado devido à baixa disponibilidade de imunizantes do laboratório nos primeiros meses. Assim, a população poderá completar o ciclo de imunização da Pfizer bem mais rápido.

"A gente só estudando para ver qual o melhor 'timing' disso, mas que vai diminuir, vai. A gente precisa verificar o cenário de abastecimento, porque a Câmara Técnica já sinalizou que é interessante avançar a imunização em primeira dose e, só então, quando a gente tiver um cenário mais tranquilo de imunizados com a primeira dose, a gente reduz o prazo para completar a imunização", apontou o secretário-executivo, Rodrigo Cruz.

São Paulo vai reduzir intervalo quando receber novas vacinas

Após a divulgação da pasta, o governo do estado de São Paulo também afirmou que deve reduzir o intervalo entre as doses da vacina da Pfizer. No entanto, isso vai ocorrer quando o estado receber novas doses do Ministério da Saúde. Na capital, aliás, quem recebeu a primeira dose pode entrar na fila da "xepa" para tentar receber a segunda em tempo reduzido.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos