Mercado abrirá em 2 h 40 min
  • BOVESPA

    108.232,74
    +1.308,56 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.563,98
    +984,08 (+1,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,89
    +0,69 (+0,60%)
     
  • OURO

    1.826,10
    +12,10 (+0,67%)
     
  • BTC-USD

    30.531,17
    +764,96 (+2,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    685,51
    +442,84 (+182,48%)
     
  • S&P500

    4.008,01
    -15,88 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    32.223,42
    +26,76 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.535,89
    +71,09 (+0,95%)
     
  • HANG SENG

    20.602,52
    +652,31 (+3,27%)
     
  • NIKKEI

    26.659,75
    +112,70 (+0,42%)
     
  • NASDAQ

    12.531,75
    +287,00 (+2,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2895
    +0,0090 (+0,17%)
     

Ministério da Saúde prevê pico da Ômicron em fevereiro: "Devemos nos preparar"

·1 min de leitura

Na última segunda-feira (24), o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, estimou que a onda da variante Ômicron deve chegar ao ápice no Brasil no próximo mês. A nova cepa já representa mais de 90% das novas infecções no país, e conta até com uma sublinhagem sob investigações da OMS atualmente.

"O pico da onda Ômicron acontece cerca de 45 dias após o início das infecções. Então temos que nos preparar para os próximos 30 dias, quando teremos o maior número de casos e, consequentemente, uma maior pressão sobre o sistema de saúde", alertou o ministro, em coletiva de imprensa.

Com essa iminente alta na onda de casos, o Ministério da Saúde se concentra em avançar com a campanha de imunização e aumentar a capacidade de atendimento na rede pública. A Pasta chegou inclusive a prorrogar a ajuda de custo destinada a estados e municípios para a manutenção de leitos de UTI.

Ministério da Saúde prevê pico da Ômicron em fevereiro (Imagem: IciakPhotos/Envato)
Ministério da Saúde prevê pico da Ômicron em fevereiro (Imagem: IciakPhotos/Envato)

A estratégia da Pasta também envolve intensificar a testagem. A ideia é distribuir 80 milhões de testes rápidos de antígenos até março. Ainda assim, o Ministério defende a utilização dos autotestes, dos quais recentemente a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou o recolhimento.

"Essas informações estão sendo discutidas com a área técnica, e o objetivo é concluir o mais rápido possível, para que a população brasileira que desejar adquirir testes em farmácia o faça. [Serve] Para ampliarmos a capacidade de testagem e termos um acompanhamento melhor do cenário epidemiológico", concluiu o ministro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos