Mercado abrirá em 4 h 14 min
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,23 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,61
    +0,52 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.692,00
    -6,50 (-0,38%)
     
  • BTC-USD

    49.778,04
    +190,59 (+0,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.005,19
    +62,02 (+6,58%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,20 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.651,20
    +20,68 (+0,31%)
     
  • HANG SENG

    28.540,83
    -557,46 (-1,92%)
     
  • NIKKEI

    28.743,25
    -121,07 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    12.413,75
    -250,00 (-1,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7748
    -0,0032 (-0,05%)
     

Ministério da Saúde monitora 204 casos de variantes do coronavírus

O Globo
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA— O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira que monitora 204 casos de pacientes com variantes do coronavírus no país. De acordo com a pasta, até o dia 20 deste mês foram identificados 20 casos da variante identificada no Reino Unido e 184 casos da variante observada no Amazonas. Segundo o levantamento, 17 estados do país já registram casos de variantes do vírus.

Em nota, o Ministério afirmou ainda que, até o momento, não identificou pacientes infectados com a cepa observada na África do Sul. O comunicado da pasta mostra ainda a distribuição das variantes pelo país.

A cepa identificada no Reino Unido já está presente em quatro estados: São Paulo (11), Bahia (6), Goiás (2), Rio de Janeiro (1). Já a variante do Amazonas já se espalhou pelo Brasil, sendo identificada em 17 unidades da federação: Amazonas (60), São Paulo (28), Goiás (15), Paraíba (12), Pará (11), Bahia (11), Rio Grande do Sul (9), Roraima (7), Minas Gerais (6), Paraná (5), Sergipe (5), Rio de Janeiro (4), Santa Catarina (4), Ceará (3), Alagoas (2), Pernambuco (1) e Piauí (1).

Durante o colapso de fornecimento de oxigênio no Amazonas, em janeiro, uma das principais preocupações de especialistas era a disseminação da nova cepa identificada no estado, uma vez que pacientes foram transferidos de lá para outras localidades do país.

A pasta afirmou que enviou uma nota técnica às secretarias de saúde para orientar sobre a condução dos casos para evitar disseminação das variantes. Autoridades sanitária têm alertado para o fato de as novas cepas do vírus serem altamente transmissíveis.