Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.176,35
    -495,17 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Ministério da Saúde diz que fez compensação por doses extras ao enviar vacinas para SP

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 23.06.2021 - Frascos das vacinas contra a Covid-19, da esq para dir, Pfizer, Coronavac e AstraZeneca. (Foto: Karime Xaxier/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 23.06.2021 - Frascos das vacinas contra a Covid-19, da esq para dir, Pfizer, Coronavac e AstraZeneca. (Foto: Karime Xaxier/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Após o governo de São Paulo acusar o Ministério da Saúde de enviar ao estado volume de doses de vacinas contra a Covid 50% menor do que o esperado, representantes da pasta negaram que tenha havido prejuízo na distribuição e disseram ter havido uma compensação por doses extras recebidas anteriormente.

Mais cedo, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), acusou o governo federal de boicote e disse que o estado recebeu 228 mil doses da vacina da Pfizer nesta semana, quando esperava que chegassem 456 mil.

A situação fez a secretaria de saúde do estado enviar um ofício ao ministério em que pede que a entrega seja normalizada e afirma que "desde o início da campanha de vacinação contra a Covid-19 sempre recebeu mais de 20% do quantitativo de vacinas destinado ao país, independente do público-alvo ou do imunobiológico".

Em entrevista coletiva no fim da tarde desta quarta (4), o secretário-executivo do ministério, Rodrigo Cruz, negou que tenha havido prejuízo na distribuição das doses ao estado e disse que a decisão foi tomada em conjunto com secretários de saúde. Ele também negou que haja um percentual fixo de distribuição de doses por estado.

Segundo a secretária de enfrentamento à Covid, Rosana Leite de Melo, o estado retirou mais doses do que o previsto no Instituto Butantan em distribuições recentes, o que levou a "compensações" no envio de outros imunizantes.

"O que ocorreu com o estado de São Paulo em relação a determinados imunizantes é que, pelo fato do Butantan ser localizado em São Paulo, eles podem fazer retirada direta do imunizante lá, mas respeitando os 'steps' de qualidade. E muitas vezes por falha de comunicação pode se retirar um quantitativo a mais, e acabamos fazendo algumas compensações, e pode ser que não entenda. Mas estamos sempre abertos a dirimir todas essas dúvidas", disse.

Em seguida, ela citou dados que apontam que o estado teria retirado doses extras do Butantan, o que levou a compensações em ao menos dois momentos, aponta.

"Pelos nossos cálculos, na pauta 31 [nome dado ao acordo de distribuição], São Paulo deveria estar com 620 mil, e retiraram 678 mil. Fazemos uma compensação naquela pauta mesmo para não prejudicar nenhum outro estado", disse.

"Na pauta 34 [início de agosto], retiraram 271 mil doses, sendo que pelos cálculos deveriam receber 178 mil doses. Então isso foi compensado com outros imunizantes", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos