Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    43.298,68
    +754,74 (+1,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,84 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Ministério da Saúde deve decidir sobre novo modelo de distribuição de vacinas na segunda-feira, diz secretária

·1 minuto de leitura

A secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Leite de Melo, disse ao GLOBO que a pasta deve fechar na próxima segunda-feira os novos indicadores dos cálculos que decidem quantas doses de vacinas contra a Covid-19 irão para os estados.

"Fecharemos os indicadores na segunda-feira juntamente com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), visto que a gestão é Tripartite", disse Melo.

O GLOBO mostrou mais cedo que a secretária se reuniria neste sábado com técnicos e com o ministro Marcelo Queiroga para rediscutir o modelo de distribuição de vacinas, que atualmente é feito pela distribuição populacional.

Na reunião, Melo apresentou as demandas e questionamentos dos estados e municípios, além da perspectiva de doses dos próximos dois meses e o que já foi enviado para os estados.

"Como já aplicamos em todos os grupos prioritários do Programa Nacional de Imunização (PNI) será o momento de repensarmos a estratégia, principalmente com o maior aporte de doses que virão".

E completou:

"Também rediscutiremos, juntamente com o Departamento de Logística, a distribuição das vacinas, desde a chegada ao aeroporto, processos de segurança, despacho aos estados após a pauta confeccionada"

O Brasil ultrapassou 548 mil mortes por Covid-19 na sexta-feira, quando mais 1.286 morreram por conta da doença. A média móvel foi de 1.131 óbitos, redução de 14% ante duas semanas atrás.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos