Mercado fechará em 5 h 16 min
  • BOVESPA

    120.127,23
    +830,09 (+0,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.961,78
    +458,07 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,22
    +2,04 (+3,39%)
     
  • OURO

    1.737,90
    -9,70 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    63.249,13
    +541,53 (+0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.358,45
    -17,33 (-1,26%)
     
  • S&P500

    4.147,59
    +6,00 (+0,14%)
     
  • DOW JONES

    33.875,59
    +198,32 (+0,59%)
     
  • FTSE

    6.927,94
    +37,45 (+0,54%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    +82,29 (+0,28%)
     
  • NASDAQ

    13.950,25
    -25,50 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7946
    -0,0366 (-0,54%)
     

Ministério da Saúde anuncia acordo de compra das vacinas da Janssen e Pfizer

Natalie Rosa
·1 minuto de leitura

Na última segunda-feira (15), Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, anunciou em entrevista coletiva com a imprensa que o governo federal fez a aquisição de vacinas das farmacêuticas Pfizer e Janssen, da Johnson & Johnson. Segundo informações obtidas pelo UOL, o país deve receber, até o final deste ano, 100 milhões de doses do imunizante da Pfizer, que requer duas aplicações, e 38 milhões da Janssen, de dose única.

As doses da vacina da Pfizer devem ser entregues em lotes mensais, começando com um milhão de unidades em abril, 2,5 milhões em maio, 10 milhões em junho e julho (por mês), 30 milhões em agosto e 46,5 milhões em setembro. Já o imunizante da Johnson & Johnson deve ser entregue em 16,9 milhões de doses em agosto e 21,1 milhões em novembro.

<em>Imagem: Reprodução/Rawpixel</em>
Imagem: Reprodução/Rawpixel

"O cronograma previsto é para ser alterado. Quando a fabricante não entrega, quando a linha de produção para, quando acontece qualquer dificuldade na legalização das doses", disse Pazuello, assumindo que podem ocorrer mudanças significativas no cronograma de entregas das vacinas.

Também fecharam contrato com o Ministério da Saúde as fabricantes das vacinas Covaxin, Bharat Biotech, e Sputnik V, do Instituto de Pesquisa Gamaleya. A vacina da Janssen, até o momento, ainda não recebeu a autorização de uso emergencial no país, apenas um certificado da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) sobre boas práticas de produção.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: