Mercado fechará em 4 h 5 min
  • BOVESPA

    122.241,90
    +361,08 (+0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.303,70
    +84,44 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,18
    +0,81 (+1,24%)
     
  • OURO

    1.865,90
    +27,80 (+1,51%)
     
  • BTC-USD

    43.359,14
    -4.573,74 (-9,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.192,99
    -4,93 (-0,41%)
     
  • S&P500

    4.148,47
    -25,38 (-0,61%)
     
  • DOW JONES

    34.193,22
    -188,91 (-0,55%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.267,00
    -120,00 (-0,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3888
    -0,0152 (-0,24%)
     

Ministério da Justiça questiona Facebook sobre vazamento de dados

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Secretaria Nacional do Consumidor, órgão do Ministério da Justiça, enviou notificação ao Facebook pedindo explicações, em até 15 dias, sobre suposto vazamento de dados de 500 milhões de usuários, 8 milhões deles brasileiros, que estariam sendo vendidos em fóruns na internet. Segundo a Senacon, o objetivo é esclarecer quais dados pessoais foram compartilhados e quantos consumidores foram afetados no Brasil. A secretaria também pergunta o que originou a suposta falha e quais medidas vêm sendo tomadas para melhorar a segurança na rede e mitigar os danos resultantes do problema. O Facebook diz que ainda não foi formalmente notificado. A empresa afirma estar à disposição para colaborar com as autoridades competentes. Sobre os vazamentos, o Facebook vem afirmando que a base de dados oferecida é antiga e o problema foi resolvido em 2019.