Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.808,54
    -1.680,49 (-4,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Ministério da Justiça investigará JBS por vazamento de amônia em Rondônia

·1 minuto de leitura
Logo da JBS

BRASÍLIA (Reuters) -O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que abriu investigação para apurar a conduta da empresa de alimentos JBS em incidente com vazamento de gás tóxico nas dependências de um frigorífico em Pimenta Bueno, Rondônia.

O procedimento sobre o vazamento de amônia será conduzido pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor da Secretaria Nacional do Consumidor, após a pasta ter sido alertada sobre o caso por ofício do Ministério Público Estadual de Rondônia.

O incidente teria envolvido "rompimento da canalização de uma das câmaras de refrigeração" do frigorífico, "acarretando no vazamento de gás amônia, atingindo as carcaças de carne acondicionadas no local", disse o ministério em nota publicada em seu site nesta sexta-feira.

"Após o incidente, outras intercorrências teriam ocorrido no intuito de reaproveitar o material possivelmente contaminado", acrescentou.

A JBS foi notificada a prestar esclarecimentos em 15 dias, prazo em que também deverá informar sobre o interesse em firmar termo de ajustamento de conduta (TAC) sobre o caso.

Procurada, a JBS afirmou em nota que não houve comercialização de produtos contaminados e reiterou compromisso com segurança e qualidade.

"A companhia esclarece que o lote não foi comercializado, ou seja, não foi destinado ao consumo humano. A JBS está prestando todas as informações às autoridades", disse a empresa.

O vazamento de amônia na unidade da companhia em Pimenta Bueno foi registrado em meados de fevereiro, segundo informações na imprensa local.

(Por Ricardo Brito em BrasíliaTexto de Luciano Costa e Nayara Figueiredo Edição de Maria Pia Palermo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos