Mercado fechará em 6 h 45 min
  • BOVESPA

    119.297,53
    +0,40 (+0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,47
    +1,29 (+2,14%)
     
  • OURO

    1.744,00
    -3,60 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    64.439,79
    +1.341,07 (+2,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.386,91
    +92,92 (+7,18%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.910,20
    +19,71 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.999,75
    +24,00 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8543
    +0,0231 (+0,34%)
     

Ministério da Economia prevê superávit comercial recorde de US$89,4 bi em 2021

·1 minuto de leitura
Trabalhadores atuam em porto no Estado de Santa Catarina. 22/10/2015. REUTERS/Paulo Prada.

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério da Economia estima que o país vá registrar este ano um superávit comercial de 89,4 bilhões de dólares, alta de 75% sobre o saldo do ano passado e o maior superávit da série histórica do governo.

A expectativa é que as exportações tenham alta de 27% em 2021, enquanto as importações crescerão 11%, disse a jornalistas o secretário especial de Comércio Exterior, Lucas Ferraz, nesta quinta-feira.

"Novas informações, com base em relatórios internacionais, sugerem que este ano haverá aumento expressivo do comércio global", disse Ferraz, acrescentando que, em meio à pandemia, o consumo global tem se redirecionado de serviços para bens manufaturados e agrícolas.

(Por Gabriel Ponte, texto de Isabel Versiani)