Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.135,39
    +1.092,91 (+1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.318,83
    +413,77 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    42,95
    +0,53 (+1,25%)
     
  • OURO

    1.835,80
    -36,60 (-1,95%)
     
  • BTC-USD

    18.297,76
    -156,99 (-0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    361,65
    +0,22 (+0,06%)
     
  • S&P500

    3.567,62
    +10,08 (+0,28%)
     
  • DOW JONES

    29.502,77
    +239,29 (+0,82%)
     
  • FTSE

    6.333,84
    -17,61 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.486,20
    +34,66 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    25.527,37
    -106,93 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.884,75
    -21,00 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4442
    +0,0643 (+1,01%)
     

Ministério da Economia melhora projeção de PIB em 2020 a -4,5%

Por Marcela Ayres
·2 minuto de leitura

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério da Economia reviu nesta terça-feira sua projeção de contração do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 para 4,5%, sobre queda de 4,7% antes, em função do bom resultado esperado para a atividade econômica no terceiro trimestre.

Em boletim, a Secretaria de Política Econômica (SPE) avaliou que a forte recuperação da indústria e do varejo foi confirmada e que o setor de serviços apresentou "bom desempenho" depois da retração acentuada vista no segundo trimestre, ainda que a produção esteja bem aquém do nível registrado em fevereiro.

"Destaca-se que, da mesma forma que a indústria e o varejo foram os principais motores da retomada no terceiro trimestre de 2020, mantém-se a expectativa de que os serviços serão responsáveis pela melhora da atividade no final do ano", afirmou a SPE.

Nas contas da secretaria, o PIB deve subir 8,3% no terceiro trimestre ante os três meses anteriores, com retração de 3,9% sobre igual período do ano passado. Antes, a expectativa era de diminuição de 4,9% para a atividade frente ao terceiro trimestre de 2019.

Para a inflação medida pelo IPCA, a perspectiva agora é de 3,13% em 2020, bem acima da expectativa anterior de 1,83%, puxada pelo aumento no preço dos alimentos. Os números fazem parte da grade de parâmetros da SPE e vão embasar a confecção do próximo relatório de receitas e despesas.

Quanto ao ano que vem, a estimativa oficial da pasta para o PIB foi mantida em crescimento de 3,2%. Já para o IPCA, o número passou a um avanço de 3,23%, contra 2,94% antes.

No boletim Focus mais recente, economistas ouvidos pelo Banco Central estimaram retração de 4,66% para o PIB neste ano e alta de 3,31% no próximo. Para a inflação, a mediana das estimativas apontou alta de 3,25% em 2020 e de 3,22% em 2021.

O centro da meta de inflação de 2020 é de 4% e, em 2021, de 3,75% --em ambos os casos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

A SPE reiterou nesta terça-feira seus cálculos de um avanço anual de 2,5% para o PIB de 2022 a 2024.