Mercado fechado

Ministério da Economia eleva projeção de alta do PIB para 0,90% em 2019

Edna Simão e Lu Aiko Otta

Para o secretário de Política Econômica, número deste ano pode ficar um pouco acima do oficial e resultado em 2020 deve "surpreender positivamente" O Ministério da Economia elevou para 0,90% a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, ante 0,85% projetado no bimestre anterior. O dado consta do Boletim MacroFiscal, elaborado pela Secretaria de Política Econômica (SPE) e divulgado nesta quinta-feira.

Para o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, a projeção de crescimento da economia deste ano pode ser maior do que a estimativa divulgada hoje de 0,90%. Segundo ele, isso pode acontecer porque houve uma antecipação na elaboração da estimativa para envio de mensagem modificativa da Lei Orçamentária Anual. “Talvez o PIB possa ser um pouco maior que isso [2019]”

A projeção de crescimento do PIB para o terceiro trimestre de 2019 é de 0,87%, em relação a igual período do ano anterior, segundo o documento. A expansão esperada para o PIB em relação ao trimestre anterior é de 0,33%.

O secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, espera que o PIB possa ficar um pouco acima da projeção oficial

valor

De acordo com o documento, o crescimento no terceiro trimestre de 2019 deverá ser puxado pelo setor agropecuário, com expansão de 2,80%, em relação ao terceiro trimestre de 2018. O setor de serviços deve avançar 0,87% e a indústria, 0,17% sobre igual período do ano passado.

Na comparação com o segundo trimestre, a agropecuária deve avançar 2%, enquanto a indústria crescerá 0,16% e os serviços, 0,19%.

O documento prevê também um Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 3,53% para 2020. Para este ano, a estimativa da equipe econômica é de 3,26%.

No caso do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), o boletim prevê uma inflação de 3,54% para o ano que vem ante 3,26% estimados para este ano. Já o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) , a previsão para 2020 é de 4,20% ante estimativa de 5,75% deste ano.

Próximos anos

Foram divulgadas também projeções de crescimento para 2020 (2,32%), 2021 (2,50%), 2022 (2,50%) e 2023 (2,50%). Na edição anterior do boletim, divulgada em setembro, não havia estimativas da evolução do PIB para esses anos.

Sachsida afirmou que o crescimento da economia brasileira no próximo ano vai “surpreender positivamente”. Ele destacou que as estimativas da secretaria se prezam pelo conservadorismo.

“Damos estimativas mais atreladas possível aos dados”, disse, acrescentando que consideram dados que passo a passo mostram de maneira consistente que o país está retomando o caminho do crescimento sustentável de longo prazo.

Ele lembrou que, em agosto, era questionado sobre se o país teria uma recessão técnica neste ano e na ocasião já dizia que esse risco não existia. O secretário ressaltou que hoje há um consenso de que o crescimento deste ano ficará próximo de 1%.

O subsecretário de Política Fiscal, Marco Cavalcanti, destacou que o crescimento pode está vindo lento em relação ao desejo do governo, mas está ocorrendo e puxado pelo setor privado. Ele lembrou que a equipe econômica pegou o país à beira do colapso fiscal e, se não fossem as medidas adotadas até então, o PIB estaria pior do que os dados de hoje.