Mercado fechado

Home office: A empresa pode ver o que eu faço no meu computador?

Woman working on her laptop in her bedroom at night

Por causa da pandemia de coronavírus, muitas pessoas estão ficando em casa e procurando novos tipos de distrações. Para fazer o tempo passar mais rápido, você acaba navegando na internet, fazendo compras na Amazon ou vendo filmes no laptop ou celular do trabalho. E é bem provável que a empresa onde você trabalha saiba disso.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Sim, os laptops ou celulares fornecidos pelo seu empregador podem rastrear, até certo ponto, o que você faz com eles. Mas calma, antes de começar a recapitular todas as vezes que você acessou sites de fofocas sobre famosos ou ficou horas vendo vídeos do YouTube em um dispositivo do trabalho, pare, respire fundo e lembre que todo mundo faz isso.

Leia também

Eu mesmo, enquanto escrevia este artigo no computador do trabalho, comprei uma balança inteligente para saber quantos quilos já ganhei durante a quarentena. Foram muitos.

Além disso, com o sucesso de aplicativos como o Zoom, provavelmente você também está usando equipamentos de trabalho para fazer bate-papos com vídeo e até happy hours virtuais com os amigos e parentes.

Se você decidir usar seu dispositivo de trabalho para atividades pessoais, sempre presuma que a empresa sabe o que você está fazendo. Afinal de contas, o equipamento é da empresa, não seu, e foi emprestado para você trabalhar, não para descobrir quais são os Pokémons originais mais poderosos, coisa que eu passei 10 minutos pesquisando enquanto escrevia este artigo no computador do trabalho.

Quando você faz login na VPN do trabalho para acessar dados confidenciais, a empresa também pode ver os sites que você acessa. Isso acontece porque, nesse caso, o tráfego de rede é enviado pela VPN, que registra todos os sites que você acessa.

Além disso, algumas empresas instalam softwares de controle como keyloggers, e adotam outras medidas para garantir a sua produtividade.

Por exemplo, se você usa um smartphone corporativo, é muito provável que a empresa controle os apps baixados e usados, além de ter a capacidade de apagar dados do dispositivo de forma remota.

Usei o laptop do trabalho para baixar fotos do meu casamento, imprimir e dar de presente para a minha esposa no Dia dos Namorados, porque sou o melhor marido do mundo. Isso significa que a empresa sabe que eu baixei essas fotos e enviei para um serviço de impressão online.

Se você usa aplicativos como Slack ou Microsoft Teams com a conta da empresa, seja no computador do trabalho ou em um dispositivo pessoal, a empresa pode ter acesso ao seu histórico de bate-papos. Isso também vale para o seu e-mail corporativo. Então, tente manter o foco das conversas apenas no trabalho.

E para deixar as coisas mais divertidas, seus bate-papos podem ser usados em processos jurídicos se a empresa tiver algum problema com a lei. Portanto, é melhor tomar cuidado com o que você escreve.

Monitoramento no escritório

Mas, e quando todos voltarem para o escritório? Será que o empregador também vai conseguir ver o que os funcionários fazem online? Com certeza.

No escritório, conectado à rede Wi-Fi da empresa, tudo o que você faz é monitorado, seja em dispositivos corporativos ou no seu smartphone pessoal.

Dave Levin, professor assistente de ciências da computação do Centro de Segurança Cibernética da Universidade de Maryland, explica que faz sentido que as empresas vejam o tráfego que passa pela própria rede.

"É possível rastrear todos os endereços IP com os quais os dispositivos conectados à rede Wi-Fi da empresa se comunicam. Se não monitorasse, a empresa seria irresponsável", conta Levin ao Yahoo Finanças.

"Um usuário pode ter algum tipo de malware no dispositivo e acessar vários endereços IP diferentes mal-intencionados ou usados para atividades maliciosas, ou talvez exista algum malware de extração de dados, e seria irresponsável não monitorar essas coisas."

As empresas podem usar muitos modos de configurar a segurança da rede para rastrear os funcionários. Ela pode, por exemplo, buscar grandes variações no consumo de banda larga para saber se um usuário está baixando apps inapropriados ou criar uma lista de sites proibidos.

Então, seria melhor parar de usar o laptop ou smartphone da empresa para atividades pessoais? Depende. Se a empresa permite que você acesse sites que não estão relacionados ao trabalho, provavelmente não tem problema fazer isso de vez em quando. Isso também vale para o celular corporativo.

No entanto, é importante lembrar que esses equipamentos não são seus, mas sim da empresa, e isso significa que tudo o que você faz neles pode ser visto. 

A conclusão é a seguinte: não espere ter privacidade usando um dispositivo fornecido pela empresa.

Além disso, quando você usa um laptop ou smartphone pessoal conectado ao Wi-Fi da empresa, não existe privacidade. Teoricamente, a empresa pode saber tudo o que você vê.

Também é importante esclarecer que algumas empresas não analisam o que você faz nos seus dispositivos. Muitas vezes, a empresa só examina como o funcionário usa o laptop ou smartphone corporativo quando recebe alguma denúncia ou quando suspeita de comportamentos impróprios.

Então, se você está preocupado em ser demitido porque entrou no Twitter ou fez algumas comprinhas durante o horário de trabalho, pode ficar tranquilo.

No entanto, para ficar totalmente seguro, é melhor usar os dispositivos de trabalho só para trabalhar mesmo, e deixar as outras atividades para os dispositivos pessoais.

Daniel Howley

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.