Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.163,17
    -1.078,46 (-0,89%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.589,09
    -868,93 (-1,87%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,96
    +0,60 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.839,40
    +9,50 (+0,52%)
     
  • BTC-USD

    36.702,11
    +260,38 (+0,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    724,77
    +9,57 (+1,34%)
     
  • S&P500

    3.803,03
    +34,78 (+0,92%)
     
  • DOW JONES

    30.975,76
    +161,50 (+0,52%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.642,28
    +779,51 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.990,50
    +188,25 (+1,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4804
    +0,0851 (+1,33%)
     

Mineração Taboca obtém registro de segurança diante de pandemia; vê impacto operacional

·2 minuto de leitura
Estoques de metais da bolsa de Londres em Kuala Lumpur, Malásia

SÃO PAULO (Reuters) - A Mineração Taboca, grande produtora de estanho no Brasil, buscou e recebeu a certificação de "Ambiente Seguro e Saudável" de trabalho em meio à pandemia de Covid-19, informou a empresa nesta terça-feira, após passar um mês com produção paralisada para adaptar suas instalações e sofrer impactos operacionais em decorrência da crise.

A companhia, que pertence ao grupo peruano Minsur e também produz ferro-ligas de nióbio e tântalo, obteve a certificação A2S emitida pela Fundação Vanzolini, e acredita que tem nela um "seguro" para enfrentar o repique da pandemia e o ano de 2021, previsto pela empresa como "difícil" em função das incertezas relacionadas à doença e à recuperação global.

Segundo comunicado da Mineração Taboca, foram investidos 23 milhões de reais em melhorias para obtenção do registro, que vale por três anos e é renovado anualmente. Antes das mudanças, a empresa havia registrado uma morte e duas internações por Covid-19 em seu quadro de funcionários.

Os efeitos da pandemia de coronavírus, somados à paralisação para alterações nos ambientes de trabalho, acarretaram quedas de produção e faturamento para a mineradora, embora parte dos impactos tenha sido amenizada pela variação cambial.

Neste ano, a produção de estanho e ligas de nióbio e tântalo da Taboca ficou cerca de 10% abaixo do nível de 2019, diante dos impactos da pandemia. Pelo mesmo motivo, disse a empresa, os preços caíram cerca de 9,2% na comparação anual, o que resultou em faturamento 17% menor.

"Mesmo com menor faturamento, a geração de caixa, medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), será maior que 2019, por conta, principalmente, da desvalorização do real frente ao dólar", disse a empresa, que prevê alta de 7% nesse indicador.

A queda do real, segundo a empresa, gerou bons resultados nas exportações para o mercado internacional, e os gestores acreditam que a certificação de ambiente seguro "será importante para abrir ainda mais espaços nesse mesmo mercado".

Para 2021, a companhia aposta em uma recuperação guiada pela vacinação contra a Covid-19, embora ainda veja sinais de "incertezas" em função do repique pelo qual o país passa --que a levou a voltar com os funcionários de escritório para o regime de "home office".

A Mineração Taboca possui uma mina em Presidente Figueiredo (AM) e uma planta de metalurgia em Pirapora do Bom Jesus (SP).

(Por Gabriel Araujo)