Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -18,90 (-1,03%)
     
  • BTC-USD

    41.917,41
    +144,88 (+0,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Minério sente pressão da China para reduzir produção de aço

·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Os futuros do minério de ferro sentem o impacto da campanha da China para reduzir a produção de aço, o que afeta a perspectiva para a demanda.

Siderúrgicas da província de Jiangsu foram orientadas a controlar a produção em relação ao nível do ano passado, segundo a consultoria Mysteel, que não citou a fonte da informação. A produção total de aço bruto na província deu um salto no primeiro semestre e, como os volumes devem cair menos do que o esperado em julho, a pressão para reduzir o ritmo se concentrará no período de agosto a dezembro, disse a empresa.

A China, maior produtora de aço do mundo, tem intensificado as medidas para despoluir o setor, que responde por cerca de 15% das emissões do país. Apesar dos repetidos pedidos de autoridades para limitar a produção de aço, o ritmo das usinas chinesas ainda aponta um volume recorde.

Os estoques portuários de minério de ferro da China podem aumentar no segundo semestre devido à menor demanda das siderúrgicas com restrições de produção e maior oferta de minas no exterior, de acordo com a Bloomberg Intelligence. Os estoques portuários na China - um sinal de força da demanda - sobem há quatro semanas consecutivas.

Enquanto isso, a agência de planejamento econômico na China pediu aos governos locais que intensifiquem o monitoramento dos preços das commodities e administrem as expectativas. O país tem buscado frear os crescentes custos das matérias-primas para manter a inflação sob controle.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos