Mercado fechado

Minério de ferro sobe com menores restrições da Covid na China apesar da alta dos casos

Trabalhador em siderúrgica em Changzhi

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - Os contratos futuros de minério de ferro subiram nesta sexta-feira, conforme a China afrouxava algumas de suas regras relacionadas à Covid-19, tomando medidas ousadas um dia depois que o novo órgão de liderança do país enfatizou a necessidade de minimizar o impacto da contenção de surtos na segunda maior economia do mundo.

Os preços de referência para produtos e outros insumos siderúrgicos na China, maior produtora de aço do mundo, também aumentaram os ganhos depois que as autoridades anunciaram as medidas.

O minério de ferro mais negociado para janeiro na Dalian Commodity Exchange da China encerrou as negociações diurnas com alta de 5%, a 708,50 iuanes (99,86 dólares) a tonelada, depois de atingir seu maior valor desde 12 de outubro, a 720 iuanes.

Na Bolsa de Cingapura, o contrato de dezembro de referência do ingrediente siderúrgico subiu para 8,2%, para 93,60 dólares a tonelada.

O sentimento do mercado já estava otimista antes de que a China anunciasse o relaxamento de restrições da Covid-19, apesar do aumento no número de novos casos e do Comitê Permanente do Politburo reafirmando a política de Covid-zero de Pequim.

As novas regras, que incluem um tempo de quarentena mais curto para contatos próximos de casos e para viajantes de entrada, estavam entre as medidas examinadas na reunião do comitê de quinta-feira.

Os ganhos desta semana no complexo ferroso da China, no entanto, pareceram carecer de suporte dos fundamentos.

Atualmente, o apetite chinês por minério de ferro está fraco, já que as siderúrgicas optaram por reduzir a produção, enquanto lidam com as perdas da fraca demanda em parte devido à piora no setor imobiliário.

Os cortes usuais de produção de aço de inverno também estão se aproximando na China, o que provavelmente manterá a demanda de minério de ferro moderada pelo menos nos próximos quatro meses.

(Por Enrico Dela Cruz em Manila)