Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.464,06
    -916,43 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,95 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,77
    +0,16 (+0,30%)
     
  • OURO

    1.849,40
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    32.615,40
    +168,78 (+0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    653,42
    +6,10 (+0,94%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.654,01
    +15,16 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.564,00
    +78,50 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5108
    -0,1254 (-1,89%)
     

Minério de ferro se recupera com previsão de déficit do Goldman

Krystal Chia
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Os futuros do minério de ferro se recuperam com a análise do Goldman Sachs de que o mercado global permanece apertado e pode estar vulnerável a cortes de fornecimento relacionados ao clima neste trimestre.

Haverá um “claro déficit” no primeiro semestre de 2021 após a escassez nos últimos dois anos, disse o banco em relatório amplamente otimista sobre as commodities. Os estoques estão baixos, principalmente nas usinas da China, o que coloca o mercado em risco de choques de oferta e aumentos inesperados da demanda, disse o banco.

Os contratos futuros de minério de ferro subiram mais de 70% ao longo do último ano puxados por uma combinação de restrições de oferta e demanda impulsionada por estímulos na China. Os comentários do Goldman estão em linha com as expectativas do mercado de que o consumo deve superar a oferta neste ano, principalmente nos primeiros seis meses. O banco disse que sinais recentes enviados pelo governo chinês, que busca reduzir a produção local de aço e aumentar a oferta doméstica de minério, não alteram a dinâmica atual do mercado.

A menos que a demanda por aço seja “cortada no mesmo grau, o principal impacto do corte da produção doméstica de aço seria impulsionar as importações de aço e simplesmente desviar a demanda de minério de ferro - e os volumes de vendas de aço - para usinas fora da China”, disse. “Essa mudança não mudaria materialmente o que deve ser um claro déficit.”

Os futuros do minério de ferro eram negociados com estabilidade, a US$ 167,11 a tonelada na Bolsa de Cingapura às 15h41 no horário local, revertendo uma queda de 2,3%. O contrato de minério de ferro mais ativo em Dalian subiu 0,3%, enquanto os futuros do vergalhão de aço caíram pelo segundo dia em Xangai, após fecharem a sexta-feira no nível mais alto desde 2011.

Ao mesmo tempo, investidores continuam a avaliar o impacto do aumento dos casos de coronavírus na indústria siderúrgica da China. Foram registradas 42 infecções em 11 de janeiro, incluindo 40 em Hebei. A região produtora de aço, no norte do país, abrange centros como Shijiazhuang, uma cidade de 11 milhões de habitantes onde foi decretado um lockdown.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.