Mercado abrirá em 1 h 43 min
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,88
    +1,13 (+1,89%)
     
  • OURO

    1.724,20
    -9,40 (-0,54%)
     
  • BTC-USD

    51.670,53
    +2.619,15 (+5,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.032,52
    +44,43 (+4,50%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.674,37
    +60,62 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.143,75
    +88,50 (+0,68%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8566
    -0,0055 (-0,08%)
     

Minério de ferro salta mais de 5% na China com recuo na produção da Vale em 2020

Enrico Dela Cruz
·1 minuto de leitura

Por Enrico Dela Cruz

SÃO PAULO (Reuters) - Os futuros do minério de ferro tiveram forte alta nesta quinta-feira, após a brasileira Vale ter divulgado dados fracos de produção anual que mostram a companhia ainda lutando para recuperar plenamente suas operações após um desastre em uma barragem há dois anos e a pandemia de coronavírus.

O minério de ferro na bolsa de commodities chinesa de Dalian encerrou o pregão diurno com alta de 5,3%, a 991 iuanes (153,41 dólares) por tonelada, após dois dias de perdas.

Na bolsa de Cingapura, o material utilizado na fabricação do aço subia 5,2% no meio da sessão, para 154,50 dólares por tonelada.

A Vale registrou uma queda de 0,5% na produção de minério de ferro em 2020, para 300,4 milhões de toneladas, no limite inferior de sua meta de entre 300 milhões e 305 milhões de toneladas, embora tenha sinalizado uma potencial recuperação tanto na produção quanto nas vendas neste ano.

A empresa teve recuo de 5% na produção em comparação trimestral devido a maiores chuvas e restrições em barragens de rejeitos.

"A mineradora brasileira tem sofrido para aumentar a produção após restrições relacionadas ao vírus no ano passado", disse o analista de commodities da ANZ, Daniel Hynes.

"Eles também estão atrasados na obtenção de aprovações de segurança para barragens depois do desastre (de Brumadinho, em 2019)".

Os desafios da Vale contrastaram com um otimismo sobre as perspectivas de embarques de minério de ferro do Brasil neste ano, impulsionadas por dados mostrando maiores exportações em janeiro.

Já o vergalhão de aço na bolsa de futuros do Xangai avançou 2%.