Mercado fechará em 2 h 37 min
  • BOVESPA

    112.283,59
    +1.357,99 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.222,75
    -234,80 (-0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,47
    +0,25 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.802,70
    -12,50 (-0,69%)
     
  • BTC-USD

    16.924,05
    -27,77 (-0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,58
    +0,15 (+0,04%)
     
  • S&P500

    4.045,09
    -31,48 (-0,77%)
     
  • DOW JONES

    34.220,71
    -174,30 (-0,51%)
     
  • FTSE

    7.555,61
    -2,88 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.897,50
    -165,25 (-1,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4790
    +0,0136 (+0,25%)
     

Minério de ferro recupera suporte técnico, mas perspectivas ruins permanecem

Trabalhador em siderúrgica

Por Mai Nguyen

(Reuters) - Os preços do minério de ferro na bolsa de Dalian subiram nesta terça-feira para um suporte técnico, após forte perda mensal em outubro, mas as fracas perspectivas de demanda na China prejudicaram o ânimo.

O minério de ferro mais negociado em janeiro na Dalian Commodity Exchange (DCE) fechou em alta de 2,5%, a 628 iuanes (86,30 dólares) a tonelada, depois de cair 2,2% no início da sessão, para 599,50 iuanes, o menor nível desde 22 de julho.

O contrato caiu 29% em relação ao pico de junho, de 890 iuanes por tonelada, devido às restrições da Covid-19 e à desaceleração do setor imobiliário na China. Em outubro, o contrato caiu 15,3%, sua maior perda mensal desde fevereiro de 2020.

"600 renminbi (iuan chinês) é um nível psicológico para o contrato de Dalian", disse Zenon Ho, analista da Marex.

Na Singapore Exchange (SGX), o contrato de dezembro subiu 0,3%, a 77,40 dólares a tonelada, tendo perdido mais de 50% frente a máxima de abril, quando superou 160 dólares.

As atividades fabris da China encolheram em outubro, pesando ainda mais sobre as perspectivas de demanda por metais e sugerindo uma recuperação econômica mais fraca no quarto trimestre.

O mercado imobiliário na China continuou em queda em outubro, com dados privados mostrando que os preços das casas e as vendas caíram.

(Por Mai Nguyen em Hanói)