Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.385,08
    -79,62 (-0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Minério de ferro recua com demanda da China de volta ao foco

Minerador segura amostra de minério de ferro

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - Os contratos futuros de minério de ferro nas bolsas de Dalian e Cingapura caíram nesta terça-feira, à medida que os traders avaliam novos surtos de Covid-19 na China e a fraca demanda por aço, principalmente do setor imobiliário do país.

O minério de ferro mais negociado, para entrega em janeiro do próximo ano, na bolsa chinesa de commodities de Dalian caía 1%, a 726 iuanes (107,53 dólares) a tonelada, perto do fim das negociações. No início da sessão, o contrato atingiu seu maior nível desde 1º de agosto, em 755 iuanes.

Na Bolsa de Cingapura, o contrato de setembro do ingrediente siderúrgico caiu 1,1%, para 110,40 dólares a tonelada, após avançar nas duas últimas sessões, sustentado pela melhora das margens das siderúrgicas na China.

Analistas disseram que quaisquer ganhos para o minério de ferro seriam limitados devido a preocupações persistentes sobre a crise financeira que envolve as incorporadoras chinesas, os lockdowns da Covid-19 e as restrições de produção no maior produtor de aço do mundo.

Partes do Tibete estão realizando testes em massa de Covid-19, incluindo as duas maiores cidades da região autônoma chinesa, para combater um surto raro, enquanto clusters aumentavam na região tropical de Hainan e em Xinjiang, no oeste da China.

Os preços mais altos do minério de ferro também podem atrapalhar os planos de reiniciar mais altos-fornos na China que estão parados devido à recente queda na lucratividade do aço.

"Se a matéria-prima subir muito rápido, inibirá a retomada da produção pelas siderúrgicas", disseram analistas da Zhongzhou Futures em nota.

Enquanto isso, a falta de energia na província chinesa de Zhejiang interrompeu as operações do alto-forno local, disseram eles.

(Por Enrico Dela Cruz em Manila)